5 próximas tendências para o e-commerce

Numa economia que está globalmente conectada é importante não confundir tendência com modismo. O modismo tem vida curta – é a hashtag que está nos trending topics do Twitter, o equivalente digital a uma borboleta, enquanto as tendências, em especial num mercado, duram por longos períodos de tempo. Em geral é seguro para as empresas ignorar modismos, mas eles não podem ignorar a tendência – isso não quer dizer que todos devem adotar qualquer tendência nova imediatamente, mas que é preciso ficar de olho nas mudanças e incorporar o que é importante para o seu negócio.

No varejo as tendências emergem da forma como os clientes compram, o que eles querem comprar e como eles reagem ao marketing. Com o aumento de popularidade do e-commerce na última década, vimos as tendências influenciarem o varejo digital, com a Amazon em geral na liderança da adoção das novidades. Entretanto, ninguém precisa ser um gigante como a Amazon para adotar – e lucrar – com elas.

Marketing Programático

A próxima maior coisa no e-commerce começa com a personalização e um dos primeiros passos do processo é o marketing programático, uma forma evoluída e mais eficiente do remarketing. A forma mais simples do retargeting é mostrar seus anúncios para o usuário quando ele está em outro site (às vezes) relacionado, mas isso só acontece depois dele visitar o seu site. O objetivo, claro, é leva-lo de volta ao seu site – e ao pagamento de preferência.

O marketing programático, ao contrário, usa uma base de dados maior para decidir para quem seu anúncio vai aparecer e, mais importante, qual dos anúncios do seu inventário mostrar para esta pessoa. Na essência, é mostrar o anúncio ideal para a pessoa certa no momento exato. Ao contrário do retargeting genérico, com o marketing programático você atinge uma audiência maior, já que a pessoa certa não é necessariamente o cliente que acabou de sair do seu site. Alguns deles serão pessoas que nunca ouviram falar da sua marca, nunca estiveram no seu site e chegarão lá através de um anúncio.

Automação do marketing

Quando ouvem sobre a automação do marketing, as pessoas pensam nos e-mails, mas a verdadeira automação vai além das mensagens, principalmente quando falamos de e-commerce. Para os varejistas online, o marketing automático quer dizer também landing pages personalizadas, promoções especiais e quais produtos serão exibidos para seus clientes.

Este nível de personalização e customização sempre custou altos investimentos, ficando restrito aos grandes players e suas verbas gigantes. Só que hoje existem empresas que oferecem soluções para personalização e recomendação que são acessíveis para todos, não importa o seu tamanho.

Personalização é mais que usar o nome do cliente no e-mail marketing – assim como automatizar o marketing é mais que e-mail marketing. Quando implantada corretamente, a automação permite enviar mensagens específicas para cada cliente, mostrando produtos e ofertas baseados no seu histórico de compra e na navegação no seu site. Ela permite que você faça o mesmo com promoções, ofertas especiais e permite customizar seu site para cada cliente – e as indicações que cada um receberá são influenciadas tanto pelas compras anteriores como pelas suas demonstrações de interesse.

Algoritmos artificiais

Um dos maiores desafios do e-commerce, especialmente quando se fala de automação e personalização é a segmentação dos clientes e a identificação de padrões baseados em sua história. Os algoritmos podem fazer isso para você, mas ainda são necessários humanos para avaliar os resultados e confirmar as recomendações que são feitas.

Resumindo: o algoritmo pode recolher a informação, mas provavelmente não conseguirá vê-la – para isso são necessários olhos humanos. Outro limite dos algoritmos é a precisão da informação que entregam, que depende da qualidade e do tamanho da base que têm à disposição. Isso é um desafio especialmente para empresas novas e para pequenos negócios que ainda não têm muita informação histórica. Mas se você conseguir um parceiro que tenha acesso a grandes volumes de informação pode contornar esta dificuldade.

Móvel, mobile, sempre

Uma tendência que está no ar já há algum tempo e só ganha importância é o acesso móvel. A cada ano, a cada data comercial importante, os varejistas digitais vêm o número de transações que têm origem nos smartphones aumentarem. Estamos num ponto do tempo e desta tendência em que todos os varejistas online têm que ter um site responsivo que funciona do mesmo jeito nos aparelhos móveis e desktops. Entretanto, muitos nem cogitam esta possibilidade. Ter um aplicativo ou um site móvel pode agradar alguns clientes, mas apenas se tiverem acesso ao seu catálogo completo. Se limitar a quantidade de produtos, você estará limitando as suas vendas.

A realidade é que as pessoas estão com seus telefones por mais tempo do que estão na frente de seus computadores; isso sem contar que em mercados emergentes mais pessoas têm telefone do que um computador. Se a sua experiência no site através do telefone for ruim, eles vão ao seu concorrente. Eles nem vão reclamar e menos ainda esperar que você conserte.

Melhores opções de entrega

Por muitos anos não houve muitas mudanças nas opções de envio do e-commerce. Os varejistas experimentaram com o frete grátis e aconteceram pequenas melhoras incrementais no tempo de entrega. Mas não houve nada realmente novo. Até que em 2013, quando mais do mesmo tipo de entregas apareciam – inclusive alguns que usam motoristas voluntários e grandes varejistas começaram a investigar entregas com drones. Até agora, entregas rápidas através de motoristas crowdsource e serviços especializados são a escolha para a maioria, mas a entrega com drones depende de aprovação e regulamentação que vai variar de país para país. O impacto desta tendência é melhor ilustrado pelo fato de que a Amazon está investigando a entrega através de agentes selecionados em crowdsource.

Anos atrás, com pouca oferta, os clientes aceitavam o melhor esforço dos varejistas online. Conforme aumentou o tempo e o volume de dinheiro gastos online, diminuiu a possibilidade de aceitar o melhor possível. Os clientes já mostraram que reagem – e gastam – quando são tratados como pessoas; quando os produtos recomendados fazem sentido e as promoções parecem selecionadas para eles; quando podem comprar a qualquer tempo, de qualquer equipamento sem sentir a diferença e quando eles têm que esperar apenas horas, em vez de dias, para receber suas encomendas.

Encontrar formas de adotar e adaptar estas cinco tendências para a sua loja vai ser ótimo para você e para seus clientes.

Posts relacionados


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *