Comércio eletrônico: conheça os segmentos promissores

Os números do comércio eletrônico têm sido positivos nos últimos anos. O crescimento do faturamento chegou a 15% em 2019 e a expectativa é de que esse resultado seja superado em 2020.

Estudos realizados nessa área confirmam que os consumidores brasileiros estão dispostos a comprar qualquer tipo de produto ou serviço internet. Então, praticamente, não há mais restrições em termos de segmento.

É fácil compreender o que está acontecendo: as pessoas passam o tempo todo conectadas à internet e faz sentido que se relacionem e comprem por meio das plataformas digitais.

Importante lembrar que não estamos mais falando sobre a necessidade de as empresas terem vários canais para atender ao cliente. O consumidor hoje transita entre as plataformas e exige a integração, porque para ele o que interessa é ter uma boa experiência.

Não importa se ela vai acontecer no aplicativo do WhatsApp, no mobile, no site, nas redes sociais, no televendas ou mesmo na loja física. Por isso, quem pretende investir em e-commerce, em busca de expansão dos negócios ou abertura de uma nova atividade, é fundamental contar com soluções adequadas.

Os segmentos mais promissores para o mobile commerce

Analisando os resultados de 2019, os setores que apresentaram mais crescimento no mobile e-commerce foram:

Perfumaria, Cosméticos e Saúde

Moda e Acessórios

Esporte e lazer

Casa e Decoração

A avaliação dos setores que têm se destacado nessa área é importante, uma vez que hoje os dispositivos móveis têm um papel central no dia a dia dos consumidores.

E quando olhamos para as tendências para 2020, é fato que ainda espaço para que as lojas avancem nessa frente. Há consenso entre os especialistas que o Brasil tem bons players nessa área, mas as perspectivas são positivas, principalmente para quem se preparar para atingir nichos específicos.

Vamos falar sobre isso nos próximos tópicos!

Mercados mais segmentados

Ainda analisando os setores que têm se mostrado mais promissor para as vendas pela internet, temos que destacar a relevância dos segmentos especializados.

Aproveitando as vantagens do ambiente online, vale a pena investigar as possíveis demandas em nichos mais específicos. Eles são importantes para assegurar diferenciais para as empresas.

Na área de alimentação, por exemplo, tem crescido o número de adeptos às dietas mais restritivas. Assim, ao grupo de vegetarianos e veganos, somam-se pessoas que descobriram que são intolerantes à lactose, ao glúten e por aí vai.

Na mesma linha, temos assistido ao crescimento da demanda por cosméticos personalizados, principalmente os que integram as linhas naturais. Nesse caso, a proposta é eliminar determinados aditivos químicos, além, claro, da questão dos testes em animais.

Em praticamente todas as áreas, quem investir em linhas mais sustentáveis encontrará adeptos. Como em todo negócio de nicho, o importante é oferecer alternativas aos padrões usuais do mercado.

Como exemplo, podemos citar o segmento de cervejas artesanais. As operações têm se expandido, mostrando que há espaço para a entrada de novos competidores em setores que parecia haver pouco espaço para inovação.

A produção artesanal tem alcançado também outras áreas, como as de moda masculina e feminina. Os itens mais comuns são sapatos, roupas e acessórios personalizados.

Uma das vantagens para as empresas é o fato de o produto customizado ter maior valor agregado, permitindo mais flexibilidade na precificação.

Negócios de porte menor precisam ter essa preocupação, uma vez que nem sempre esse tipo de loja conseguirá concorrer com os grandes players, em função das condições de negociação mais favoráveis.

Rede de afiliados

Para atender às exigências desses segmentos menores, uma das saídas é contar com as redes de afiliados. Nesse caso, o afiliado faz a divulgação dos produtos e, quando a venda é concretizada, ele ganha uma comissão sobre o valor do negócio.

Nesse modelo, que está em expansão no Brasil, destacam-se mais setores como o hoteleiro, de viagem, de cursos, além das lojas que vendem eletrodoméstico, livros, etc.

A expectativa é que a evolução desse tipo de estratégia continue de forma acentuada, uma vez que as empresas hoje têm outras maneiras de expandir seus canais de vendas.

Além das redes sociais, a expansão pode ser feita via outros canais, como mensagens via WhatsApp. Nesse caso, o ideal é ter sistemas como o ZapCommerce, da JET, desenvolvido justamente para viabilizar as vendas via o aplicativo.

No modelo de afiliados, a loja cadastra os vendedores que, a partir daí, podem interagir com os clientes, buscando abordagens mais personalizadas para fechar o negócio.

Uma das vantagens é que a operação é feita num ambiente seguro, uma vez que o app dispõe de um sistema próprio.

Ter como contar com uma rede de vendedores é importante para esse cenário dos negócios de nicho. As chances de vendas podem ser multiplicadas, sem que seja preciso fazer investimentos adicionais.

Gostou do artigo? Quer saber mais sobre as oportunidades no comércio eletrônico? Confira agora nosso webinar sobre Vendas via WhatsApp.

Posts relacionados


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *