Como utilizar o Google Shopping na sua estratégia?

Diversificar as estratégias de divulgação é um dos desafios para ter um e-commerce de sucesso.

Num ambiente cada dia mais competitivo, é preciso buscar maneiras mais eficientes de atrair o cliente para a loja. E, neste caso, é impossível ignorar a importância do Google.

É difícil determinar qual é a melhor estratégia nessa, até porque tudo depende das particularidades do seu negócio, mas sabemos que o ROI aumenta quando a operação consegue equilibrar o que consegue via cliques orgânicos e pagos.

As plataformas do Google costumam ser bem intuitivas, este também é o caso do Shopping, mas a maximização dos resultados está diretamente atrelada ao emprego de estratégias bem elaboradas em cada frente: desde a escolha dos produtos que irão para o feed, até a segmentação dos dispositivos, passando pelo trabalho criterioso na redação dos títulos e descrições dos produtos.

Contar com o apoio de agências especializadas é importante para aumentar a performance das campanhas. Contudo, os gestores devem ter noção das possibilidades de uso do Google Shopping para que possam orientar os seus parceiros e, claro, monitorar o desempenho das campanhas.

A proposta deste artigo é justamente compartilhar informações sobre o que deve ser feito para se obter melhores resultados no Google Shopping. Confira!

Por que diversificar as estratégias de divulgação do negócio?

Antes de tratarmos do Google Shopping, vale lembrar: ter um negócio online deixou de ser uma opção apenas para determinados nichos. 

O acesso à internet hoje é democrático, ou seja, está disponível para todas as classes sociais e regiões do país. 

Para varejistas e indústria, ter um e-commerce significa abrir novas frentes de atuação, buscando a melhor combinação entre os diferentes canais de vendas. 

Fique atento: não faz sentido pensar em substituição. O consumidor tem um comportamento omnichannel, então sairá na frente quem conseguir oferecer várias opções para o cliente. 

Contudo, neste cenário mais diversificado, aumenta a responsabilidade dos gestores. É preciso redobrar a atenção com as estratégias de divulgação e promoção do e-commerce. 

A explicação é simples: é importante ter ações que consigam impactar o público em diferentes canais de comunicação, sempre com a mensagem mais adequada para o seu momento na jornada de compra. 

No dia a dia, isso exige que os investimentos sejam bem distribuídos. Como já dissemos, o apoio de mão de obra especializada pode ajudar bastante, mas é importante que os gestores de e-commerce tenham noção sobre o que podem fazer para melhorar a visibilidade da loja. 

O que é Google Shopping?

Apenas para esclarecer, o Google Shopping é uma das verticais do Google e funciona, basicamente, como uma vitrine. A proposta é que o usuário possa pesquisar diretamente nas lojas e, assim, fazer um comparativo de preços.

A “aba” do Shopping aparece como uma das opções, ao lado de “notícias, “imagens” e “vídeos”.

A vantagem, para o usuário, é que todos os produtos vão aparecer agrupados naquela página, facilitando a sua pesquisa.

Além disso, ele tem como acionar os diversos filtros disponíveis, refinando os resultados com base nos critérios que considera mais importantes, como preço, tamanho, cor etc.

Para as empresas, a proposta é que tenham como fazer ofertas mais bem direcionadas. Criado em 2011, o serviço iniciou de forma gratuita, depois ganhou a modalidade paga. Em 2020, como uma forma de ajudar as empresas em meio à pandemia, o Google liberou novamente e-commerces para exibirem seus produtos nesta sessão, de forma orgânica.

Como o Google Shopping funciona para o e-commerce?

Como acontece nos demais serviços do Google, o Shopping é baseado na questão da relevância. Ou seja, o produto ou serviço será mostrado se o buscador entender que ele responde ao desejo do usuário.

No dia a dia, as marcas podem criar campanhas específicas para o Shopping via Ad Words. Mas vale a pena também trabalhar esta opção gratuita, melhorando o desempenho da loja nas buscas orgânicas.

Para isso, basta fazer as configurações na plataforma para que o Google mostre os seus produtos. O primeiro passo, então, é o cadastro no Merchant Center

A diferença, em relação ao Ads, é que neste caso a escolha das palavras-chave será feita pelo próprio sistema e não pela empresa, como ocorre nas demais modalidades.

Até em razão desse sistema, é fundamental ter muita atenção no momento de fazer o cadastro dos produtos no feed, porque serão considerados os atributos de cada item cadastrado.

Uma das questões que devem ser observadas é que o Google tem dado mais destaque aos resultados de pesquisas em telas de celulares. Ou seja, para ter um bom desempenho, é imprescindível ter um site responsivo.

Além disso, é importante redobrar a atenção na redação dos títulos e das descrições, que devem ser objetivas, centradas em apelos mais racionais.

Em termos de estratégias, duas questões fundamentais: preço (os menores costumam ser privilegiados) e, claro, a disponibilidade em estoque.

Quais as vantagens do Google Shopping?

Entendidas as funcionalidades básicas do Google Shopping, vamos ver algumas das vantagens que o seu negócio online poderá obter com o uso dessa vertical:

– Mais tráfego

Além da possibilidade de aumentar o volume de pessoas visitando a loja, o Google Shopping permite outro benefício importante: leads mais qualificados.

Isso acontece porque estamos nos referindo a clientes que fizeram uma busca específica e que clicaram em “shopping”, ou seja, provavelmente estão num estágio mais avançado da sua jornada de compra.

– Mais conversões

Se temos um lead qualificado, as chances de conversão também aumentam. Para isso, contudo, é importante garantir que a oferta apresentada seja atrativa para o cliente.

Os resultados tendem a ser superiores, também, se ao chegar à loja o cliente encontrar um ambiente adequado para a compra.

Ou seja, teve facilidade de navegação e segurança na hora do fechamento da compra.

– Mais assertividade

Num ambiente em que os recursos disponíveis para investir nem sempre não volumosos como os gestores gostariam, é importante ter como trabalhar melhor a otimização.

Neste caso, uma das vantagens do Google Shopping são os relatórios que permitem mapear o comportamento do usuário de forma bem detalhada.

Além de analisar o volume de cliques de determinado produto recebeu, é possível fazer comparativos com os concorrentes e, assim, identificar oportunidades de crescimento.

Muitas vezes, medidas simples, como um parcelamento mais extenso para o cliente já pode representar mais conversões para o e-commerce.

Como mostramos neste artigo, o Google Shopping tem um papel importante para o e-commerce, na medida em que a abordagem do cliente ocorre de forma diferenciada, com uma oferta bem formulada.

No dia a dia nem sempre é fácil administrar a execução desses recursos da maneira mais eficiente, daí a necessidade de recorrer à mão de obra especializada, de preferência parceiros certificados pelo Google.

Detalhe: como em toda estratégia de divulgação do e-commerce, é essencial atuar de forma integrada. Ou seja, todas as iniciativas devem estar devidamente alinhadas com o planejamento do e-commerce.

Gostou do artigo? Quer mais dicas sobre como diversificar suas estratégias? Baixe agora o eBook Promoções no E-commerce: o guia para você saber como fazer.

Posts relacionados