E-commerce já tem mais de 5% do varejo nacional

e-commerce
A Cielo começou a usar sua base de dados para divulgar estudos sobre o varejo brasileiro. O último analisou os últimos cinco anos do varejo brasileiro e foi divulgado durante o 18º Fórum de Varejo da América Latina. E, sim, um dos grandes destaques da apresentação foi o e-commerce, que segundo a empresa tem 5% do total do varejo – no setor de Turismo, a participação é de 29%. O mapeamento da bandeira de cartões no primeiro semestre de 2015 você confere abaixo, no gráfico. Participação do e-commerce por setores O macrossetor que mais impulsionou o varejo foi o de bens não duráveis (drogarias, supermercados e hipermercados, combustíveis), com crescimento médio de 13% ao ano, responsável por 42% de todo o volume de vendas. O segundo é o de bens duráveis e semi duráveis, com 36% do volume de vendas (crescimento de 9% ao ano), onde estão móveis, eletroeletrônicos, materiais de construção e vestuário. O setor de serviços, com crescimento de 11% ao ano responde por 22% do volume de vendas. cielo_macrossetores A renda determina, claro, o perfil de consumo. As rendas mais baixas e a classe média concentram os gastos nos bens duráveis e semiduráveis, enquanto o topo da pirâmide desloca boa parte de seus gastos para serviços – restaurantes, turismo e serviços automotivos, principalmente. cielo_consumo_macrossetor_faixaderenda Além de responsável por parte das vendas, o estudo da Cielo mostra que o e-commerce também é o canal de preferência dos consumidores de renda elevada (40%). O estudo mostra que o gasto por cliente no primeiro semestre de 2015 foi de R$ 627, com cinco compras e tíquete médio de R$ 127,00. cielo_gastosecommerce Segundo a Cielo, as datas comemorativas têm crescido em linha com as médias anuais de crescimento do varejo. A grande exceção? A BlackFriday, que nos últimos dois anos mostrou aumentos muito mais expressivos que as altas do ano. O evento de promoções fez com que o consumidor antecipasse compras de Natal, aumentando o volume de vendas em Novembro nos anos de 2013 e 2014. cielo_blackfriday E, sim, o principal canal da Black Friday é o e-commerce. Veja, abaixo, o gráfico de faturamento da semana do evento e o aumento de volume. cielo_blackfridayecommerce Segundo o estudo os principais destaques do varejo nos últimos cinco anos foram:
  • O setor de serviços e produtos de uso cotidiano puxando a média de crescimento para cima.
  • Abertura de novas lojas que sustentou uma parte do crescimento do setor;
  • O e-commerce como canal de destaque, com crescimento de 2,5 vezes acima do varejo físico.
  • A Black Friday, que mudou o comportamento de compras do consumidor, principalmente no e-commerce.
Se você ainda tinha dúvidas sobre participar ou não do evento, esperamos que este post tenha resolvido a questão. A Plataforma JET estará pronta para atender todos os seus clientes na BlackFriday. Prepare suas estratégias e venda! Foto do destaque: Tom Eversley, Copyleft, via IsoRepublic

Posts relacionados