O que você precisa saber para gerenciar seu e-commerce em marketplace

e-commerce-marketplace

Devido ao sucesso alcançado nos últimos anos, é uma excelente estratégia manter seu e-commerce em marketplace.

Esses canais conquistaram a atenção e a preferência do consumidor online. Os dados apurados pela E-bit/Nielsen confirmam que apenas no primeiro semestre de 2018 essas operações registraram um crescimento nominal de 62,4%.

Os resultados têm sido crescentes nos últimos anos e, invariavelmente, as vendas via marketplaces têm apresentado taxas acima das médias do mercado.

Para quem tem um e-commerce, são inúmeras as vantagens, principalmente em termos de visibilidade. Esses canais investem muito em comunicação e marketing, o que acaba gerando um tráfego significativo para as lojas.

O principal desafio para os gestores é o controle adequado da operação. A atuação em mais de um canal aumenta os riscos, uma vez que são maiores as chances de erros.

Você sabe como administrar suas vendas nos marketplaces? Se ainda tem dúvidas em relação a isso, está no lugar certo. Separamos informações importantes sobre o assunto para este artigo. Acompanhe!

E-commerce em marketplace: como fazer o gerenciamento

A rotina não é fácil no setor de e-commerce. Ter um negócio bem-sucedido depende da atenção a diversos detalhes, do controle de estoque ao pós-venda, passando pelas estratégias de marketing.

Ao optar por trabalhar com os marketplaces, a operação torna-se mais complexa. Afinal, são praticamente duas lojas rodando simultaneamente, o que aumentam as chances de erro, certo?

Para minimizar os riscos, a saída é trabalhar com uma plataforma de e-commerce que faça a integração entre os diferentes sistemas de forma nativa.

Na prática, isso quer dizer que você vai conseguir administrar as vendas num único local, monitorando estoque e organizando as iniciativas mais apropriadas para cada canal.

Vamos entender nos próximos tópicos as vantagens dos sistemas integrados.

Confira os benefícios de ter um hub nativo

Empregar uma plataforma de e-commerce com hub nativo traz um grande benefício para os gestores: a administração dos dois sistemas é feita diretamente no dashboard, o que garante total controle da operação.

Outra vantagem importante é a facilidade no processo de integração. No caso da JET NEO está tudo preparado para que a sua loja passe a vender nos principais marketplaces do país, como Amazon, Extra, Ponto Frio, Casa Bahia, Buscapé, Mercado Livre, Walmart e Netshoes e Magazine Luiza.

No dia a dia, isso significa muito mais eficiência, por exemplo, na gestão de estoque. Como as informações estão integradas, diminui bastante o risco de falhas no processo.

Contar com um hub nativo também elimina outras preocupações relacionadas à emissão de notas fiscais ou inserção de código de rasteio do produto. Essas operações serão feitas de forma automática, diretamente na plataforma.

Com mais facilidade na parte operacional, a equipe pode cuidar com mais atenção da gestão estratégica, organizando melhor as iniciativas que serão empregadas para aumentar a performance da loja.

Como otimizar os resultados no marketplace

Para otimizar os resultados do e-commerce em markeplace, o primeiro passo é fazer o monitoramento das vendas, usando os dados registrados no sistema.

É importante analisar a performance obtida em cada canal de venda. É a partir daí que você pode fazer os ajustes necessários para aprimorar o desempenho da loja.

Entre as estratégias mais adequadas para essas operações, avalie:

Condições de preço

Como a concorrência é acirrada nos marketplaces (pense neles como um shopping center virtual), as estratégias de precificação devem ser bem estudadas.

O ideal é monitorar a concorrência e, dentro das suas possibilidades, trabalhar com valores mais competitivos. Certifique-se também de oferecer as melhores condições no caso do frete e do prazo de entrega. Esses fatores são decisivos na hora da compra!

Apresentação dos produtos

Também em função da pressão dos concorrentes, valorize a apresentação dos seus produtos. Boas fotos e descrições adequadas podem fazer a diferença na escolha do cliente.

Quanto mais detalhes técnicos, melhor, uma vez que os consumidores estão cada dia mais exigentes. O cuidado nessa hora pode evitar problemas na finalização da venda, o que ajuda a minimizar os riscos de abandono de carrinho.

Esse é um indicador que precisa ser acompanhado de perto, uma vez que implica em desperdícios para o e-commerce. Pense nisso: você conseguiu atrair a atenção do cliente, porém, por alguma razão, ele não concluiu o negócio.

Fique atento: o ideal é trabalhar com uma plataforma de e-commerce que disponha de recursos com foco em conversão. Isso significa que ela deve ter ferramentas de promoção, usabilidade e checkout inteligente.

Satisfação do cliente

Manter a satisfação do cliente em alta não é importante apenas para o marketplace, porém, nesse caso a atenção deve ser redobrada.

Primeiro, porque essas operações costumam incentivar os clientes a deixarem suas avaliações. E, acredite, as opiniões compartilhadas fazem muita diferença no fechamento do negócio.

Essa é uma característica do consumidor atual: ele avalia qualidade, preço, e valor do frete, mas confere um peso maior para as considerações de quem adquiriu o produto.

É compreensível, uma vez que no e-commerce não temos contato direto com o produto, então, precisamos de outros tipos de garantia, correto?

Razões para estar presente nos marketplaces

Como você deve ter percebido, são boas as razões para que você avalie a possibilidade de integrar o seu e-commerce aos marketplaces.

Essas operações têm conseguido resultados significativos nos últimos anos não apenas no Brasil, mas em todo o mundo. É uma forma de otimizar os recursos do comércio eletrônico e, por isso, temos visto as grandes redes varejistas aderindo a esse modelo de negócio.

Para quem tem um e-commerce, trata-se de mais uma possibilidade de venda. Além de abrir novas oportunidades de negócios, é importante pensar também na conveniência do cliente.

Na escolha dos parceiros, lembre-se de que a questão das comissões é importante, porém, há outros aspectos fundamentais: a reputação daquela marca e a sua aderência com o seu negócio.

Manter o e-commerce em marketplace não se trata de uma iniciativa isolada e nem vale a pena apostar todas as suas fichas apenas nesse modelo. Ter uma operação própria é a saída para quem almeja ganhar escala e construir uma história de sucesso no comércio eletrônico.

Preparado para investir num dos segmentos que mais crescem no Brasil? Esclareça suas dúvidas com este artigo Plataforma de e-commerce: o que não pode faltar para abrir sua loja virtual.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *