JET participa da Marketplace Conference 2018

Dados da e-Bit confirmam a importância dos marketplaces: em 2017 eles faturaram R$ 73,4 bilhões.

O interesse do mercado consumidor pelo formato e a necessidade de ampliar o conhecimento dos profissionais sobre as oportunidades nessa área foram as razões que levaram o E-Commerce Brasil a organizar um evento dedicado 100% ao tema.

A primeira edição da Marketplace Conferecence aconteceu no Transamerica Expo Center, entre os dias 6 e 7 de junho, e reuniu cerca de 3 mil congressistas. Além das palestras que cobriram desde a questão da gestão até as estratégias de marketing, os participaram tiveram a oportunidade de conhecer melhor os produtos e serviços de mais de 60 expositores.

A JET e-business, que é uma das mantenedoras do E–Commerce Brasil, aproveitou a ocasião para apresentar as vantagens do JET HUB. A ferramenta, uma dos diferenciais da plataforma JET NEO, faz a integração da loja, de forma nativa, com os principais marketplaces do país, como Amazon, B2W, Magazine Luiza, Ricardo Eletro, Carrefour, Ponto Frio, Casa Bahia, Buscapé, Mercado Livre, Walmart, Netshoes.

Para quem tem uma loja virtual, na prática isso significa que é possível gerenciar todas as ações relacionadas à gestão da venda por meio da própria plataforma, o que facilita bastante o dia a dia da operação, ao mesmo tempo em que se potencializam as possibilidades de negócio da loja virtual.

A evolução do varejo

Além de participar da exposição da Marketplace Conference 2018, a JET também contribuiu na geração de conteúdo do evento. Gustavo Chapchap, diretor de marketing da empresa, foi um dos palestrantes da Arena Soluções.

Ele abordou em sua apresentação um tema que interessa bastante para quem deseja ter negócios bem-sucedidos nessa área: a evolução do varejo, a mudança do consumidor e o papel da tecnologia.

Depois de chamar a atenção para as transformações vividas pelo varejo nas últimas décadas, quando evoluiu do modelo de catálogos para o e-commerce personalizado, Gustavo enumerou as características que marcam o comportamento atual do consumidor:

* Exigente – espera ser atendido com excelência e possui o hábito de reclamar publicamente;

* Social – o que importa é a opinião da comunidade, daí a relevância, por exemplo, dos review na decisão de compra;

* Bem informado – busca conhecimento e compra sabendo o que está levando;

* Quer ser reconhecido – espera ser valorizado nas interações;

* Busca conveniência – demanda agilidade das empresas, é impaciente e possui baixa tolerância às filas.

* Demanda experiência – busca experiências fluidas e sem atrito.

Como enfatizou Gustavo em sua apresentação, atender às exigências desse novo consumidor só é possível para as operações que focam suas atividades na experiência proporcionada aos clientes. E a efetividade dessa tarefa depende da eficiência dos gestores para usar, de forma adequada, as informações relacionadas à jornada do consumidor.

Nesse contexto, é impensável para os e-commerces, atualmente, adotar uma plataforma que não seja omnichannel. “A experiência do consumidor já é multicanal”, afirmou Gustavo, observando que, até por isso, a integração entre os diversos canais da loja deve acontecer da forma mais fluida possível.  “A promessa da marca é entregue pela combinação entre gente, ambiente e tecnologia. Como o seu cliente se sente ao sair da loja, do app ou do website determina o quão rápido ele vai voltar”, afirmou o executivo.

A JET NEO foi desenvolvida exatamente com esse foco: fornecer tecnologia capaz de propiciar ao lojista todas as condições de proporcionar a melhor experiência de compra ao consumidor final.

Bons aprendizados

Os 3 mil congressistas que participaram da Marketplace Conference 2018 acompanharam, durante os dois dias, as apresentações dos principais players do setor, como Amazon, Walmart, Via Varejo, Netshoes, eBay e Indiamart (maior marketplace B2B da Índia), Carrefour, Riachuelo, Danone, Hope, Enjoei, Estante Virtual e IFood.

Realizada no auditório principal, a palestra de Brijesh Agrawal, cofundador e diretor do Indiamart, maior marketplace B2B da Índia, foi um dos destaques da conferência.

Quem acredita que o cenário no Brasil é desafiador, deve prestar atenção no que acontece na Índia: o país adota 20 idiomas diferentes. Como se pode imaginar, não é fácil estruturar operações que atendam à maior parcela do público.

Os números da Indiamart impressionam: a plataforma é responsável por 0,4% do PIB do país e conta com cinco milhões de empresas que vendem para 55 milhões de clientes.

Outra informação importante trazida por Agrawal refere-se à importância do marketplace para o B2B. Contrariando quem imagina que o modelo seja mais propício para o B2C, ele explicou que na Índia os negócios entre as empresas já superam os realizados com o consumidor final.

O crescimento registrado no Indiamart não é isolado e deve-se à diversas iniciativas adotadas no mercado indiano, inclusive em relação à questão tributária. Lá eles conseguiram unificar os impostos que variavam de região para região (como acontece aqui com o ICMS). Da parte das empresas, a contribuição veio a partir da melhora na infraestrutura de pagamentos, visando o barateamento dos custos das transações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *