JET Talks: WhatsApp integrado ao ERP

Realizado no dia 22 de outubro, a última edição do  JET Talks mostrou como as empresas podem integrar o WhatsApp ao ERP. Quem acompanha o dia a dia do e-commerce sabe que essa integração tornou-se prioritária, até pela importância conquistada pelos serviços de mensageria.

Como lembrou Gustavo Chapchap, CMO da JET, logo na abertura do webinar, as empresas têm cada vez mais necessidade de incluir seus vendedores na jornada digital do cliente e o WhatsApp tem facilitado bastante esse trabalho. “A digitalização do varejo chegou para ficar, foi acelerada pela pandemia da Covid-19 e, portanto, tornou-se prioritário entender como aproveitar melhor os recursos disponíveis no ambiente online”, enfatizou o especialista, que foi o responsável pela mediação do evento.

O JET Talks deste mês contou com a participação de Caio Comerlato, head de marketing e parcerias do Tiny ERP, e de Bruno Oltramari, especialista do time de onboarding da Tiny.

Transformação digital deixou de ser pendência para ser tendência

A transformação digital do varejo foi um dos aspectos destacados pelos profissionais, até porque é esse processo que tem exigido cada vez mais atenção com as integrações dos sistemas de venda e de gestão.

Neste contexto, impossível ignorar o papel do WhatsApp. “Ele consegue aproximar a relação de compra e venda da relação interpessoal, e o trabalho se torna mais eficiente”, explica Gustavo.

Por outro lado, contudo, como enfatizou o diretor da JET, é preciso fazer o controle de todo esse processo, cuidando de catálogo, estoque, pedidos, para que as vendas possam ocorrer de forma escalável. “Não faz muito sentido que o vendedor dependa apenas da sua memória ou de uma planilha para organizar esse processo”, lembrou Chap.

No ZapCommerce, por exemplo, é possível criar e compartilhar os catálogos com diversas pessoas, ao mesmo tempo. No entanto, se isso não for bem organizado, o risco de haver falhas na entrega é alto. E, nesse caso, todos perdem. O vendedor, porque não consegue fechar o negócio, e o cliente, que pode escolher um produto, pagar e ter problemas na entrega, porque o produto não está mais no estoque.

Caio Comerlato, da Tiny, lembrou que esse tipo de problema traduz bem as dificuldades reais enfrentadas pelas empresas nesta nova fase do e-commerce. “Todas as informações precisam ser integradas, até porque aumentou o número de canais de venda”, afirma.

Ele destacou o importante papel de ferramentas como o ZapCommerce, que permitem que o lojista feche o ecossistema do e-commerce com a inclusão do WhatsApp. “O que temos visto no dia a dia é que as indicações de compra, vindas desse canal, tendem a ser mais valorizadas, uma vez que se trata de uma pessoa com a qual o consumidor mantém algum tipo de relacionamento”, ressalta o especialista.

Pensando nas rotinas diárias das lojas, Gustavo lembrou que o ZapCommerce hoje é empregado por grandes empresas, mas que por trás dessas operações quem usa a ferramenta é aquele vendedor que está lá na frente da loja, usando o seu aparelho celular. “E ele tem o mais importante: o relacionamento com o cliente. Ele é muito relevante na decisão de compra, uma vez que conhece os hábitos do cliente, sabe o seu nome, os seus padrões socioeconômicos, idade, etc.”, detalha.

Medidas de distanciamento social aceleram processo

Caio lembrou que esta situação ficou mais evidente para as lojas quando foram adotadas as medidas distanciamento social. Afinal, muitas empresas viram seus vendedores da loja física parados, sem ter como chegar até o cliente.

Neste momento, o WhatsApp ganhou mais relevância, uma vez que esta força de vendas podia usar o recurso para abordar o consumidor. E aí vem a questão: como organizar essas vendas originadas de outros canais de venda?

É claro que é possível usar uma planilha do Excel, mas isso vai ser viável apenas para um volume pequeno de pedidos. Além disso, não é possível aprofundar as informações: trata-se de um recompra? É a primeira compra? Ela está dentro dos padrões daquele perfil de cliente? Quem foi o vendedor responsável? Enfim, há uma série de informações que devem ser consideradas na elaboração das estratégias.

Para Gustavo, é preciso considerar também que hoje é importante que o vendedor seja um agente ativo e não passivo. E isto não é válido apenas para este momento de fechamento (ou de atuação restrita) das lojas físicas.

No dia a dia do varejo, antes mesmo da pandemia, este já era um problema enfrentado, porque as lojas têm horários e dias de pico e, fora deles, muitas vezes a força de vendas fica ociosa.

A importância da integração com o ERP

Como lembraram os especialistas, a integração com o ERP é fundamental porque o acesso, neste caso, não envolve apenas dados relacionados ao estoque, e sim preço, informações dos produtos, etc.

“Hoje chegamos numa ferramenta que empodera o vendedor, mas também garante que o lojista tenha como controlar a operação, o que vai resultar na satisfação do cliente, porque o produto vai chegar”, enfatizou Gustavo, referindo-se ao ZapCommerce, ferramenta desenvolvida pela JET justamente para automatizar as vendas via WhatsApp e outros serviços de mensageria.

O diretor da JET observa que essa intersecção entre os canais, como o WhatsApp, tornou mais complexo o controle das vendas, daí a importância de um sistema ERP integrado à plataforma e que ajude o gestor a monitorar tudo o que acontece, independentemente do canal empregado pelo consumidor.

Usando a sua experiência com os clientes da JET, Gustavo lembra que a maioria das operações hoje atua com perfis de vendedores diferentes. “É essencial monitorar o que acontece com cada grupo, até para que as atividades possam ser devidamente otimizadas”, aconselha.

Caio lembrou que esse trabalho precisa ser feito em duas frentes. Na primeira, onde está o vendedor, temos uma pessoa que não necessariamente domina as questões técnicas do sistema, mas tem a capacidade de fomentar vendas, tirar pedidos. Na segunda frente está o backoffice da operação, que é o responsável por garantir que aquela venda seja concretizada da melhor forma possível, visando a satisfação do cliente.

“Quando se fala em integração, então, a proposta é que as atividades de ambas sejam desenvolvidas num sistema único”, pontua o especialista da Tiny.

Quais as vantagens da integração ZapCommerce e Tiny

A parceria entre JET e Tiny foi feita justamente com esse objetivo. Hoje os usuários do ERP têm como incluir o ZapCommerce e, a partir daí, conseguem ter total controle dos processos de gestão das vendas originadas neste canal.

No webinar, Bruno Oltramari, especialista do time de onboarding da Tiny, demonstrou para os participantes como isso funciona na prática.

O usuário tem logo na tela inicial fácil acesso a uma série de informações relacionadas aos pedidos, aos produtos, ao estoque e aos preços, além das vantagens da automatização dos processos de geração de nota e emissão de etiquetas para envio.

No dia a dia da loja, com essa possibilidade de controle do estoque em tempo real, são minimizados, por exemplo, os riscos de ruptura de estoque, grave problema para quem vende em vários canais. “É uma forma de operar as vendas de forma otimizada e padronizada pelo ERP, ganhando mais produtividade”, sintetiza Caio.

Segundo Gustavo, esses benefícios se somam aos recursos do ZapCommerce, que permite uma gestão bastante eficiente de todos os fatores relacionados ao trabalho do vendedor.

Entre os clientes do ZapCommerce, têm se multiplicado experiências como a da Le Postiche, que tem conseguido replicar para as equipes as práticas adotadas por seus vendedores top performance.

Muitas vezes são iniciativas simples, mas que fazem diferença nos resultados, uma vez que focam no que é mais importante para a conversão das vendas.

Mais oportunidades para escalar as vendas

Tanto Gustavo como Caio foram enfáticos em defender que ter o controle dos processos devidamente organizado é um ponto comum entre as operações que têm conseguido crescer, mesmo diante das dificuldades do mercado.

“Devemos ter em mente que a satisfação do cliente faz muita diferença no nível de retenção, que deve ser alto para uma marca que deseja crescer”, enfatiza Gustavo. “O vendedor tem que estar pronto para vender e a empresa deve ter condições de fazer essa entrega, até para não atrapalhar todo o trabalho realizado até aquele momento. E, para isso, é importante ter um ERP integrado”, finalizou.

Caio concorda com essa visão, observando que quanto mais insights forem gerados a partir dos relatórios obtidos no sistema, maiores as chances de gerar ações propícias para a conversão da venda.

Num momento de crescimento do e-commerce em todo o mundo, não restam dúvidas de que o caminho para o desenvolvimento do setor passa pelo entendimento de que é preciso aproveitar melhor as soluções tecnológicas para valorizar as iniciativas de retenção dos clientes.

Isso sempre foi importante, mas tornou-se questão prioritário, até porque existe hoje uma parcela enorme de consumidores fazendo a sua estreia do ambiente digital.

No final do webinar, uma boa notícia para quem ainda não tem o ERP da Tiny: foram oferecidas condições especiais para a adesão.

  • Código promocional: ZapCommerce
    • Condição especial: 30 dias grátis + 3 meses com 50% OFF em qualquer plano Tiny
      Para utilizar, basta indicar que as novas contas sejam criadas através deste link, que já está com o código aplicado. Também poderá inserir o código direto na página de inscrição dentro do site do Tiny ERP.

Posts relacionados