Marketplace — Tudo o que você precisa saber está aqui!

Com o mundo cada vez mais conectado, com todos os recursos que a internet disponibiliza tanto para os empreendedores como para os consumidores, se faz necessário acompanhar e aproveitar as oportunidades de mercado.

Se, antes da expansão do acesso à internet, as lojas eram limitadas por sua região, isso já não existe, e uma das principais ferramentas agora é o marketplace.

Empreendedores podem oferecer os seus produtos para qualquer lugar do mundo, atuando 24 horas por dia, sem interrupções. Essa quebra de barreiras aumentou muito o alcance das estratégias, mas também acirrou a disputa pela preferência do consumidor.

Pequenas, médias e grandes marcas podem se colocar como opção de compra. Nesse sentido, o marketplace é uma ferramenta que deve ser estudada e utilizada para gerar bons resultados.

Então, para que você tenha um bom entendimento desse recurso, preparamos este guia completo. Nele, mostraremos os seguintes tópicos:

  • o que é um marketplace;
  • como é o cenário de marketplace no Brasil;
  • o marketplace B2C;
  • o marketplace B2B;
  • por que aderir a esse modelo de negócio;
  • a importância dessa ferramenta para as empresas;
  • como vender mais com esse recurso.

Confira o nosso artigo e tire todas as suas dúvidas. Boa leitura!

O que é um marketplace?

O marketplace é um ambiente virtual em que diferentes lojistas podem colocar os seus produtos à venda. É como um shopping center, com várias marcas atuando no mesmo ambiente. O local atrai um bom número de compradores, e estes podem optar por diferentes produtos.

Esse recurso é muito confundido com o e-commerce, apesar das diferenças. Por isso, para que não restem dúvidas, vamos mostrar o conceito de ambos.

E-commerce

O e-commerce representa um ambiente virtual em que o empreendedor oferece os seus próprios produtos. Ele trabalha a sua marca e deve investir em estratégias de marketing para aumentar o conhecimento da loja virtual e posicioná-la em destaque no mercado.

Comparado à loja física, o e-commerce apresenta diversas vantagens, como o menor custo de operação e manutenção, funcionamento em tempo integral, melhor gestão dos recursos e possibilidade de integrar as ações de marketing na página da web.

Porém, para ter sucesso com essa estratégia, você precisa criar um site eficiente, hospedado em uma boa plataforma, que permita que você faça ajustes e modificações de forma fácil e otimizada.

Seu site será o coração de sua empresa, e você deve trabalhar para aumentar a sua divulgação e o conhecimento do público.

O e-commerce é um importante aliado das empresas que buscam oferecer os seus produtos para um público mais abrangente, atraindo novos consumidores com ações de marketing digital e obtendo um maior controle sobre os investimentos.

É interessante, ainda, a possibilidade de alinhar varejo físico e online, obtendo as vantagens de cada modelo e proporcionando experiências mais agradáveis para o cliente.

Marketplace

O marketplace também utiliza a internet como centro de vendas, porém há uma diferença essencial em relação ao e-commerce: a proposta é oferecer produtos de várias outras organizações.

Imagine que você tenha um produto e queira colocá-lo à venda na internet, mas não possua recursos para criar uma loja virtual. Você pode se associar a um negócio desse tipo e expor o que desejar nele.

A empresa que faz a gestão do espaço virtual fará acordo com diversas marcas, oferecendo os seus itens e os de várias outras.

Para o usuário, é interessante, pois ele pode encontrar diferentes produtos em um mesmo ambiente, obtendo maior facilidade de comparar ofertas e avaliar a melhor opção de compra. Ele ainda tem a vantagem de realizar todo o pagamento de uma só vez, mesmo comprando de diferentes marcas.

Para o lojista, esse recurso é interessante justamente porque permite utilizar o nome do marketplace, que geralmente já tem um grande reconhecimento no mercado.

Toda a parte de marketing e pagamento fica por conta da empresa gestora, enquanto o lojista fica com a responsabilidade de enviar o produto vendido.

A maior praticidade, os menores custos de manutenção e o maior alcance proporcionam grandes resultados para quem opta por atuar com essa ferramenta.

Como é o cenário de marketplace no Brasil?

O Brasil é um potencial mercado para o comércio online. Segundo pesquisa disponibilizada pela Precifica, entre setembro e dezembro de 2016, o número de empreendedores que vendem os seus produtos em marketplaces, chamados de sellers, cresceu cerca de 24%.

Esse aumento se mostrou uma excelente oportunidade para os lojistas. Dentro dessa mesma pesquisa, os dados mostram que os setores com maior crescimento são “artigos para bebês”, “eletroeletrônicos” e “eletroportáteis”, com 44,6%, 39,8% e 34,4%, respectivamente.

O setor com maior potencial, ou seja, aquele que apresentou um bom crescimento e que tem um baixo número de sellers é o de alimentos e bebidas.

Os departamentos com o maior número de anunciantes são “móveis e decoração”, “esporte e lazer” e o setor automotivo.

Se você deseja encontrar um marketplace no Brasil para oferecer os seus produtos, há diversas opções. A comissão cobrada varia entre 6% e 30%, excluído o valor de frete.

Veja uma lista com os principais marketplaces no Brasil:

  • Mercado Livre;
  • Americanas;
  • Submarino;
  • Extra;
  • Walmart;
  • Amazon;
  • Pontofrio;
  • Shoptime;
  • Magazine Luiza;
  • Casas Bahia;
  • Netshoes;
  • Buscapé;
  • Sou Barato;
  • Elo7;
  • Dafiti;
  • Tricae;
  • Kanui;
  • Enjoei;
  • entre outros.

O marketplace B2C

modelo de negócio B2C — Business to Consumer — é o mais comum e consiste na venda direta para o cliente final. Geralmente, no modelo B2C, a negociação parte de um varejista, podendo ele ser o próprio fabricante, já que a internet permite que esse operador faça o contato direto com os seus consumidores finais.

Esse ponto, a venda direta do fabricante para o cliente final, é um recurso gerado pela presença web. A criação de um site para a disponibilização dos produtos proporciona diversas vantagens e facilidades. Antigamente, os fabricantes repassavam os seus produtos aos distribuidores, que tinham o poder de negociação com o público.

Nessa forma, as margens de lucro eram divididas, atendendo às necessidades da fábrica e também dos distribuidores. Então, com a internet, essa distribuição não é mais necessária. Abriram-se diversos pontos de contato dos clientes com a marca, como o próprio site, redes sociais, e-mail marketing e outros.

Cada vez mais os consumidores exigem uma experiência de compra otimizada, em que possam utilizar os diferentes recursos digitais, extraindo os diferenciais de cada um.

Nesse sentido, o conceito de estratégias omnichannel tem chamado a atenção das empresas. É necessário abrir possibilidades e criar um ambiente agradável ao consumidor, deixando que ele escolha onde e de que modo comprar.

Mas como tudo isso está interligado no marketplace voltado para o modelo B2C? Simples! O marketplace normalmente representa uma marca já consolidada no mercado, como as Lojas Americanas, Walmart ou Amazon. Essas organizações têm alta confiabilidade do público e investem em suas plataformas para gerar uma boa experiência aos seus clientes.

Então, um seller pode utilizar essa consolidação da marca e atração de consumidores para aumentar as vendas para os clientes finais.

O marketplace B2B

O modelo de negócio B2B trata da relação de empresa para empresa, ou Business to Business. Aqui, geralmente os produtos relacionados são destinados a reposição de estoque, itens de consumo ou de transformação.

No modelo B2B, as estratégias de vendas são um pouco diferentes do modelo B2C, porque, normalmente, são quantidades maiores de produtos. Isso implica em pagamentos a prazo, parcelamentos, negociação de descontos, diferenciação de impostos e a própria logística de envio dos materiais.

O marketplace para o modelo B2B é interessante, pois facilita a entrada de empresas de pequeno porte. Como não precisarão investir em um ambiente virtual e na construção de sua marca, elas conseguem uma margem de lucro interessante como sellers.

Todos os custos com as etapas de pagamento dos pedidos serão por parte do marketplace. Ele também cobre os investimentos em marketing e hospedagem na web. Esses benefícios, aliados ao grande volume de compradores, podem fazer a diferença em uma pequena empresa.

Para ter sucesso, é preciso avaliar quais são os benefícios oferecidos e a comissão cobrada. Escolha um marketplace que seja referência no departamento dos seus produtos, com um alto volume de consumidores. Lembre-se, também, de considerar a concorrência dentro do próprio ambiente virtual.

Por que aderir a um marketplace

Inserir o seu e-commerce em um marketplace tem diversas vantagens. Vamos relacioná-las, a seguir:

 

Maior visibilidade

Normalmente, a empresa que gere o marketplace já tem um nome de referência no mercado e, com isso, consegue atrair um volume grande de consumidores para o seu ambiente virtual.

Dessa forma, quando um empreendedor decide oferecer os seus produtos dentro de uma plataforma, ele aproveitará o fluxo já existente de clientes.

Podemos fazer uma analogia com um shopping center. Atuar em um marketplace seria como abrir uma loja dentro de um shopping movimentado, com uma alta frequência de consumidores dispostos a comprar os produtos oferecidos naquele local.

Retorno mais rápido

Como foi dito, se você resolver criar o seu e-commerce partindo do zero, pode demorar um pouco até que comece a lucrar com o negócio. Afinal, no início, a sua marca ainda não é reconhecida no mercado.

Há de se construir a identidade para, então, buscar a preferência do público.

Porém, se você associa o seu e-commerce a um marketplace, o retorno financeiro vem mais rápido. A sua marca ganhará visibilidade em um prazo menor, pois você aproveitará o nome da empresa gestora e os seus clientes.

Melhor experiência de compra ao cliente

As vantagens em associar o e-commerce a um marketplace não são exclusivas para o empreendedor. Os clientes também ganham com essa relação.

Imagine que um determinado consumidor precise adquirir vários itens de um mesmo segmento. Porém, ao buscar na web, ele encontra cada produto em um e-commerce diferente. Cada compra deverá ter o pagamento separado, além do tempo gasto para efetuar os pedidos.

Apesar da praticidade da compra online, esse processo, repetido várias vezes, pode ser bem cansativo.

Então, se você disponibiliza os seus itens no marketplace, o comprador pode encontrar tudo aquilo de que precisa em um mesmo ambiente e realizar o pagamento de uma só vez.

O único ponto de atenção é que o envio dos pedidos será feito de forma separada, mas, como um todo, a experiência de compra é bem melhor.

Mais confiança aos compradores

Mesmo com todos os recursos de segurança que envolvem uma compra online, uma parcela significativa de consumidores ainda tem medo de fornecer os seus dados pessoais e bancários a uma loja virtual. Isso pode limitar as vendas da sua empresa.

Já no marketplace, por a empresa ser reconhecida no mercado, a sensação de confiança é maior, fazendo com que os consumidores não tenham receio em concretizar um pedido.

Possibilidade de integração do e-commerce com o marketplace

Ainda como vantagem, no momento de escolher a plataforma do seu e-commerce e de avaliar um bom marketplace para oferecer os seus produtos, é interessante que se analise a integração entre ambos.

Se houver uma compatibilidade de plataformas, a gestão de estoque se torna mais fácil. Caso isso não seja possível, você terá de controlar o estoque disponível no seu e-commerce e no marketplace. Sempre que um produto for vendido, o estoque de ambos deve ser atualizado.

Se esse trabalho for feito de forma integrada, todos os dados serão corrigidos em tempo real, gerando uma melhor e mais confiável gestão.

A importância de um marketplace para as empresas

Como dissemos nos itens anteriores, o marketplace pode representar uma grande estratégia para as empresas reduzirem as dificuldades iniciais do negócio, conquistando clientes de forma mais rápida e com menor valor de investimento.

Sabemos que, principalmente no Brasil, abrir e operar um negócio não é uma tarefa fácil. As taxas de impostos, a burocracia e as dificuldades naturais do mercado podem colocar todo o futuro de um grande empreendimento em risco.

O marketplace é, em especial para as pequenas empresas que estão querendo entrar no mercado, uma forma de acelerar o crescimento. Elas aproveitam a estrutura já montada na web, com diversos recursos para o público utilizar, como ambiente responsivo, pronto para utilização em dispositivos móveis, e até aplicativos.

Aliado aos recursos, o marketplace já conta com um bom número de consumidores, que podem ser levados a conhecer aquela nova marca, aumentando rapidamente o conhecimento da empresa em fase de crescimento.

Porém, os benefícios não são limitados às pequenas organizações. Empresas de médio ou mesmo de grande porte podem buscar novos consumidores nos marketplaces, com um custo inferior de aquisição de novos clientes.

Esses ambientes costumam concentrar diferentes soluções de um mesmo nicho, o que atrai grandes públicos desconhecidos pelos e-commerces individuais.

Além disso, nada impede que uma marca que já possua um e-commerce atue também em um marketplace. Essa opção aumenta o alcance das estratégias, distribuindo os produtos em diferentes canais de vendas e gerando maior conhecimento da marca.

Para que essa opção não gere problemas, é preciso estudar bem o processo de integração entre as plataformas.

Como vender mais com um marketplace

Ao longo do nosso artigo, você conferiu os principais motivos e o grande potencial que tem em associar o seu e-commerce a um marketplace. Agora, vamos dar algumas dicas para que você consiga boas vendaspor meio dessa estratégia.

Escolha um bom marketplace

O primeiro passo para ter sucesso é a escolha do marketplace. Não é porque uma empresa já tem credibilidade no mercado que colocar os seus produtos no ambiente virtual será garantia de sucesso.

Você precisa analisar quem frequenta esse marketplace, se há compatibilidade com o seu público-alvo. Outro ponto importante é a concorrência. Avalie os produtos similares ao seu que já são ofertados por esse operador.

Além disso, escolha uma empresa que tenha integração com os seus sistemas, para garantir uma boa gestão.

Selecione os seus principais produtos

Escolhido qual marketplace que você utilizará, chega o momento de definir os produtos que serão oferecidos.

Nessa etapa, o interessante é que você busque o destaque. Lembre-se de que o ambiente do marketplace será repleto de ofertas, com muitas empresas tentando atrair a atenção dos consumidores, até os seus concorrentes.

Então, para ser uma referência naquele espaço, escolha os produtos que mais demonstrem os seus diferenciais, principalmente se eles forem únicos, somente oferecidos por você.

Capriche nas fotografias

As imagens de cada item ofertado são fundamentais para garantir boas vendas. Se você não investe em equipamentos de qualidade para captar as fotografias, mesmo que os seus produtos tenham boa qualidade, isso não será repassado ao usuário.

Por isso, capriche nas fotos. Verifique como o marketplace permite que você demonstre os seus produtos: com uma única imagem, mais de uma, vídeo etc. Tente registrar todos os ângulos do material, não deixando dúvidas ao consumidor.

Crie uma boa descrição do produto

Assim como a fotografia, a descrição dos itens deve ser bem-feita. Na maioria dos casos, o marketplace dificulta o relacionamento do cliente com o seller. Então, se o usuário ficar com alguma dúvida, provavelmente será uma venda perdida.

Para que isso não aconteça, crie uma descrição bem detalhada, cobrindo todos os possíveis pontos de questionamento.

Fale sobre as características, formas de utilização, maneiras de armazenamento, prazo de validade, se for o caso. Tudo que for útil para facilitar a decisão de compra.

Calcule bem os preços

Cada marketplace cobra um determinado valor de comissão pela exposição e venda dos produtos. Essa taxa deve ser considerada no momento da escolha de qual plataforma utilizar.

Porém, uma outra decisão importante está nos preços dos produtos que serão praticados na loja. Se você colocar um valor elevado, tentando cobrir a comissão, pode criar uma diferença muito grande para a concorrência.

Já se você deixar um preço baixo para ganhar as vendas, pode acabar por reduzir a sua margem de lucro. O ideal é que se encontre um equilíbrio, considerando um preço competitivo e interessante.

Automatize a gestão do marketplace

Por fim, nossa última dica é uma das mais importantes. Já falamos sobre a necessidade de integrar o seu e-commerce com o marketplace. Esse ponto é importante para garantir o bom funcionamento de ambos.

Sabemos que gerir um e-commerce tem as suas dificuldades. O controle de estoque tem que ser eficiente, monitorando todos os itens que entram e saem da empresa. Então, imagine isso mais as vendas pelo marketplace, com sistemas isolados!

Nesse caso, o trabalho gerado seria enorme, e a chance de erro, também, comprometendo os resultados dos dois pontos de venda.

Para que isso não aconteça, uma ferramenta muito interessante é indicada: o JET HUB. Ele é o hub nativo de marketplace da plataforma JET NEO. Consiste em uma ferramenta para total integração com os principais marketplaces. Com ele, você obtém o controle total das operações, conseguindo uma ótima performance às estratégias.

Como vimos no nosso artigo, o marketplace é uma interessante ferramenta para que as empresas consigam disponibilizar os seus produtos em um ambiente com um grande público já presente, utilizando uma marca já conhecida no mercado.

O baixo investimento inicial é uma grande vantagem desse modelo de negócio, aliado à grande exposição. Esses recursos podem fazer toda a diferença para as organizações, principalmente para empresas de pequeno porte.

No Brasil, essa estratégia vem ganhando espaço entre as empresas, tanto no modelo B2B quanto no B2C.

É importante frisarmos que, para inserir o seu e-commerce em um marketplace e conquistar bons resultados, é preciso que esses ambientes estejam integrados, permitindo total controle das operações e uma boa gestão.

Então, o que achou do nosso artigo de hoje? Agora que você já conhece todo o potencial que um marketplace pode oferecer à sua empresa, aproveite para baixar o nosso e-book com as melhores práticas para o seu e-commerce!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *