Multiplique suas vendas explorando o mobile commerce

mobile commerce
Não é difícil entender a importância do mobile commerce no cenário atual do varejo. Basta pensar na sua relação com o aparelho celular: quanto tempo por dia você passa conectado? Provavelmente, são várias horas, já que hoje é possível realizar diversas atividades com ele na web, sem maiores complicações. A pesquisa TIC Domicílios 2017, do Cetic.br, confirma que hoje os smartphones têm a preferência dos brasileiros para o acesso à internet – o dispositivo móvel é utilizado pela maior parte dos usuários (96%). Para se ter ideia da proporção, metade da população conectada acessa a internet exclusivamente pelo telefone celular. Estamos falando de um total de 58,7 milhões de brasileiros. E pela primeira vez na série histórica (a pesquisa está em sua 13ª. edição), o estudo mostra que a proporção de usuários que acessam a rede apenas pelo celular (49%) superou a daqueles que combinam celular e computador (47%). As estatísticas dessa área devem ser acompanhadas de perto pelos gestores da área de e-commerce. A omnicanalidade deixou de ser tendência, faz parte das premissas do setor. Isso quer dizer que a loja deve estar preparada para atender o cliente em todos os canais e precisa ter as soluções adequadas para fazer a gestão integrada de todo o processo de venda. Neste artigo vamos apresentar um panorama do m-commerce (abreviação do mobile commerce) e mostrar como as empresas estão conseguindo ampliar suas vendas por meio dos dispositivos móveis.

A presença do m-commerce no Brasil

Refletindo sobre as mudanças que têm acontecido no comércio eletrônico diante das possibilidades do mobile, existem algumas questões importantes que precisam ser analisadas. Primeiro, vale enfatizar que o crescimento nessa área tem sido contínuo em diversas categorias de produtos. Na pesquisa Comércio Móvel no Brasil, da Mobile Time/Opinion Box, aparecem entre as compras mais frequentes via smartphone: – Roupas (51%); – Eletroeletrônicos (47%); – Refeições (37%); – Cosméticos ou itens de higiene pessoal (33%);- – Acessórios de moda (32%); – Livros (32%); – Eletrodomésticos (32%). Segundo essa pesquisa, 74% dos brasileiros com smartphone já experimentaram comprar produtos físicos por meio do aparelho celular. E 83% dos entrevistados se dizem satisfeitos ou muito satisfeitos com a experiência. Outro dado interessante e que deve ser observado pelos gestores da área de e-commerce: 75% dos consumidores móveis brasileiros afirmam que fazem compras pelo smartphone com mais frequência hoje do que faziam seis meses atrás. E 63% dizem que realizam mais compras pelo smartphone do que pelo desktop. Estudo divulgado pela Criteo em 2018 traz outras informações que merecem atenção: – as compras são mais frequentes nesses canais a noite e nos finais de semana; – em termos de estratégias, a combinação de dados das vendas off e online aumentam as oportunidades de otimização das vendas; – os clientes omnichannel representam mais vendas, ainda que em volume não sejam numericamente significativos.

Pontos que merecem atenção no mobile commerce

Considerando as especificidades do m-commerce, a pesquisa Mobile Time/Opinion Box indica como mais valorizadas as seguintes funcionalidades: – navegação gratuita; – recomendações personalizadas; – atendimento online; – compra online com retirada na loja física. Entre as melhorias ainda requisitadas pelo público, o estudo indicou os seguintes itens: – serviço de atendimento ao consumidor; – a busca por produtos; – o processo de pagamento; – o cadastro de dados pessoais; – o custo de navegação.

O que é determinante para aumentar as vendas no mobile

Disponibilidade

Uma das características do serviço nessa área é a necessidade de facilitar o acesso do usuário. Isso envolve as questões relacionadas à navegabilidade da loja, como o tempo de carregamento da página, e aspectos relacionados ao processo de compra e fechamento da venda. Os estudos realizados nessa área confirmam que o público é impaciente. Se encontrar algum problema, a pessoa logo desiste da loja e pode acabar parando no site do concorrente. Veja o que diz o estudo realizado pelo Google, sobre os micro-momentos: 53% dos entrevistados declararam que abandonam o site mobile se ele demorar mais de 3 segundos para carregar. Existe também um impacto direto nos resultados do negócio, uma vez que para cada segundo de demora, a taxa de conversão cai 12%. Para não prejudicar a imagem do e-commerce e, claro, as vendas, o site então precisa ser responsivo, ou seja, se adaptar ao dispositivo de acesso. A integração entre os sistemas adotados pela loja também é importante, por causa do comportamento omnichannel do consumidor. É comum que as pesquisas sejam realizadas no celular e, a compra, no site. É crucial, também, garantir que o cliente possa escolher os canais de sua preferência. Assim, se você tem loja física, o ideal é que ele tenha a opção de comprar pela internet e retirar na loja.

Agilidade

A questão da agilidade é preponderante para o consumidor móvel. Isso tem a ver com a usabilidade do e-commerce e envolve funcionalidades relacionadas ao cadastro, processo de pesquisa e, principalmente, checkout. Certifique-se, então, de que a plataforma de e-commerce contratada disponha dos recursos adequados, como social login (o cliente pode usar suas contas nas redes sociais) e o checkout inteligente. No caso desse último, o ideal é oferecer: – Identificação do cliente na recompra; – Auxílio visual para preenchimento dos dados do cartão; – Possibilidade de fechar a compra em poucos cliques; – Acesso ao resumo do pedido em qualquer momento da jornada de compra.

Prepare-se para o m-commerce

Como sempre acontece nessa área, não há muita saída para o comércio eletrônico, é preciso acompanhar as tendências do setor. Se o consumidor tem dado preferência para o m-commerce, é crucial que a loja esteja preparada para responder à demanda. Se ainda tem dúvidas sobre a necessidade de ter um site mobile friendly, veja esses dados: no primeiro semestre de 2018 o m-commerce respondeu por 32% das vendas do comércio eletrônico brasileiro. Essa informação faz parte d38ª. edição do Webshopper, da E-bit/Nielsen. Segundo o estudo, as compras via smartphones ou tablets alcançaram um total de 17,4 milhões, gerando um movimento de R$ 6,7 bilhões. Para inserir o seu e-commerce nesse ambiente, é importante investir nas soluções adequadas. É fundamental ter um site responsivo e que disponha das funcionalidades necessárias para agilizar a venda. Não se descuide: mobile commerce deixou de ser tendência para se transformar em realidade e não há como deixar de disponibilizar essa opção de compra para o consumidor. Gostou do artigo? Quer ter acesso a outros conteúdos exclusivos? Siga a JET nas redes sociais: Facebook, Twitter, LinkedIn e Instagram.    

Postado em Vendas

CONTINUE ACOMPANHANDO NOSSAS NOVIDADES AQUI NO BLOG!
SAIBA MAIS SOBRE AS SOLUÇÕES DA JET E-BUSINESS:


Posts relacionados