“O futuro é por voz”, diz Chapchap sobre vendas no e-commerce

O futuro foi transformado no presente”, disse Gustavo Chapchap, sobre as transformações digitais pelas quais a maioria das empresas está passando no momento.

Gustavo Chapchap, CMO da JET, falou durante o primeiro dia do The Future Of E-commerce, edição tech, realizado totalmente online pelo E-Commerce Brasil.

Ele disse que a atual realidade vai fazer com que algumas áreas sejam mais afetadas por causa do coronavírus. “Quem trabalha no nosso mercado de e-commerce está notando um aumento enorme de demanda, que é um legado que vai ficar para o pós-pandemia”, disse.

Ele acredita quem um curso espaço de tempo, os moradores das grandes cidades, dificilmente vão voltar a se aglomerar nas ruas. E isso é grande oportunidade para o e-commerce. “As empresas que não tinham estratégia digital estão correndo para ter estratégias digitais e as empresas que já tinham estão fortalecendo essas estratégias e priorizando”.

Ele afirma que o que estamos vivendo é uma mudança conceitual. A priorização dentro dessas grandes companhias ou até por motivo de sobrevivência das pequenas companhias faz com que os funcionários se engajem e que as aprovações sejam mais rápidas e que os olhos fiquem mais abertos para a transformação digital, mesmo em companhias mais tradicionais.

“A gente está na aceleração da transformação digital, na mudança de hábito das gerações antigas e no aumento do protagonismo dessas gerações digitais, porque ela deixa de ser só uma geração nativa digital para ser uma geração consumidora. A gente já tem um quarto da população que faz parte da geração Z. E virão gerações subsequentes que já nascem digitais e que, para eles, será cada vez mais natural comprar online”, explica Chapchap.

“Inovar deixa de ser uma opção para passar a ser uma questão de sobrevivência”, lembra o especialista. Se antes, até o presidente do Facebook afirmou que a privacidade tinha acabado, agora, a sociedade está discutindo privacidade e lei geral de proteção de dados porque, segundo Chapchap, “existe uma demanda da população por mais privacidade, por proteção de dados e por conversas privadas. E isso também está mudando a maneira de como a gente se relaciona e a maneira de como se relacionam os consumidores de marca. Isso é um dos pilares de mudança da plataforma de e-commerce do futuro”, afirma Chapchap.

Geração Z

Ao contrário dos Millennials que presenciaram as transformações digitais e tiveram que aprender as tecnologias, a geração Z já encara de uma maneira natural comprar online. Crianças bem pequenas já pedem um aparelho celular para os pais. Isso, segundo Chapchap, é testemunhar a mudança de comportamento da sociedade. A criança pede um aparelho, explica, porque ela já entende que aquilo é importante para ela.

Inovar é fundamental, de acordo com Chapchap. Ele explica que empresas que demoram para inovar e para entender a mudança do consumidor acabaram ou perderam muito do protagonismo. A frase “ninguém tem uma marca tão forte que consegue condicionar o consumidor para comprar” é uma verdade, na opinião do especialista, seja por opção do consumidor, seja por uma situação como estamos vivendo atualmente, quando não existe a opção de comprar fisicamente alguns produtos ou serviços.

O desafio do e-commerce do futuro é trazer valor, conveniência, segurança e os três Ps do novo varejo, que são personalizações, proximidade e privacidade, explica Chapchap.

Plataforma de e-commerce do futuro

“Em algum momento, eu não vou precisar ter uma tela para fazer compra”, disse. Ele explica que hoje esse tipo de situação ainda é exceção, mas vai passar a ser regra. Ele questiona: “Afinal, porque eu teria que ter uma tela de celular ou computador para fazer uma compra, ou uma interação comercial? Posso fazer isso usando outra plataforma (e vão surgir vários novas interfaces) e é bom que essas plataformas estejam adaptadas às novas interfaces.”

Ele diz que o futuro é por voz, por ser mais inclusivo, socialmente aceito, e mais conveniente. E explica: “um terço da população já usa comando de voz para alguma coisa, segundo o Google, então se a sua plataforma não está preparada para o comando de voz, logo em breve ela vai estar. Temos iniciativas na internet de criar um ambiente de compra por comando de voz. Ainda é algo que está no início, mas com certeza vai ganhar protagonismo no futuro”.

Ele citou, ainda, como pontos importantes e que terão destaque a biometria facial e a realidade virtual, que são iniciativas que ainda estão em testes, mas que, na visão dele, vão evoluir muito. Aliás, a realidade virtua vai ser o futuro na demonstração de produtos, acredita Chachap.

“Será preciso compreender os consumidores como seres humanos, entender o que os move e fornecer produtos e serviços  que os consumidores não conseguem se imaginar vivendo sem. Mais importante, há uma grande oportunidade, mas é hora de confirmar valores e fortalecer propósitos”, finaliza Chapchap.

Por: Rafael Chinaglia, da Redação do E-Commerce Brasil – from E-Commerce Brasil

Posts relacionados


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *