O problema do filtro de feed do Facebook e o impacto no marketing

O Facebook tem sido considerado um dos dois pilares de uma boa estratégia de marketing social. Há muitas maneiras de se atingir grandes audiências e potenciais clientes com suas mensagens e ir mais fundo nas abordagens de marketing e os bons profissionais sabem como fazê-lo.

Para uma empresa de pequeno e médio porte, uma página no Facebook com um número razoável de likes e uma conta no Twitter eram mais do que necessários, e com isso podia-se fazer boas campanhas e promoções, até que o Facebook resolveu dar uma espécie de chave de braço nos profissionais, não mostrando mais todos os posts dos seus amigos e likes em páginas.

Esse é o que está sendo chamado de “problema no filtro de feed”. Mas então, o que isso realmente significa para os pequenos empreendedores que usam o Facebook como sua principal mídia social? Por quê o Facebook agora filtra os feeds?

Você pode não ter percebido (ainda) que, quando você muda a visualização do seu feed de “principais histórias” para “mais recentes”, mesmo tendo os anúncios com permissão de exibição, o que você vê no seu feed de notícias são apenas algumas coisas, como posts das páginas que você gosta e de seus amigos com quem mais troca likes, comentários e postagens, ou seja, mesmo que tenha mil amigos, o que você vê é o conteúdo postado por poucos, vindos apenas desses poucos (mas frequentes) amigos, além de um monte de fotos e vídeos. Dificilmente você vê uma atualização de status normal. Experimente fazer essa mudança de visualização o seu feed de notícias e vai ver o resultado.

O Facebook oferece várias maneiras de você controlar o que quer ou não ver, permite esconder publicações de determinados usuários, aplicativos, etc., sem excluí-los. E não há uma opção “ver tudo”. Isso acontece porque o Facebook acredita que, considerando todo o conteúdo postado por seus amigos e páginas que curtiu, os usuários teriam entre 1500 e 15000 novos itens no seu feed de notícias para ler todos os dias. Como os mortais não têm tempo para ler tudo isso, o Facebook usa um algoritmo que tenta determinar quais dos posts de amigos e páginas são “dignos” de serem exibidos para você.

No Twitter acontece exatamente o oposto disso: apesar de saber que você não irá ler tudo o que publicam, ele não esconde nada no seu feed, mas se perdeu algum post, ele pelo menos mostra os antigos para baixo na linha de tempo. Mas tanto no Twitter quanto no Facebook, a abundância de posts se perde.

O raciocínio é que as redes sociais são tão cheias de conteúdo que simplesmente não damos conta de passar por tudo isso.

Ok, o problema no filtro de feed de notícias já foi explicado, mas o que isso implica para as empresas e profissionais de marketing digital?

Significa que o esforço em atingir o alcance máximo de usuários com um post/mensagem de sua página ou perfil está indo por água abaixo, com uma eficiência muito menor que era possível de se conseguir a alguns meses atrás.

A soma desse novo algoritmo às ferramentas e possibilidades que os usuários têm em filtrar os posts em seu feed de notícias, estão minando cada vez mais a capacidade de atingir o seu público apenas com mensagens comuns.

A solução, infelizmente, é colocar menos peso nas postagens no Facebook, considerar investir (grana) em mensagens e anúncios promovidos, ou mudar o seu foco para o Twitter (que não filtra os posts) ou ainda outras redes sociais menores.

O filtro do feed é assunto controverso entre os profissionais de marketing digital e empresas e está aos poucos diminuindo o entusiasmo (e o interesse) geral para ações no Facebook. No entanto, a menos que se encontre uma maneira melhor de gerenciar os post, o filtro está aí, e ao que parece, veio para ficar.

Posts relacionados


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *