Quais são as lojas preferidas dos brasileiros no e-commerce?

A adesão dos brasileiros pelas lojas online cresce a cada ano. A maior prova disso são os resultados alcançados pelo comércio eletrônico nos últimos anos: faturamento e volume de pedidos registraram aumentos significativos, na casa dos 15%.

Esse é um desempenho excelente, principalmente se considerarmos que poucos setores econômicos conseguiram elevar seus números, até em função das dificuldades do país no campo econômico.

Para 2020, com previsões mais otimistas sobre a economia brasileira, as expectativas são excelentes. O público tem comprado mais via internet e hoje praticamente não existe restrição em termos de segmentos que podem empregar os canais digitais.

Outro dado positivo: o crescimento do uso do e-commerce também no B2B. Trata-se de um movimento importante, uma vez que evidencia o amadurecimento do mercado brasileiro.

Diante desse cenário promissor, é fundamental que as empresas entendam as oportunidades que existem no ambiente digital e acompanhem as mudanças que estão acontecendo no comportamento do consumidor.

Selecionamos alguns dados apurados na pesquisa Insights Opinion Box: E-commerce, recém-divulgada. Confira!

E-commerce está mais popular

O estudo, que ouviu em dezembro de 2019 mais de 2.078 pessoas, confirmou o aumento da popularidade do comércio eletrônico.

33% dos entrevistados afirmaram que hoje estão comprando mais online do que há 12 meses.

A frequência também tem sido maior: 20% dos entrevistados declararam que compram online pelo menos uma vez por mês. Outros 14% dizem que optam pela compra em e-commerce mais de uma vez por mês.

Em relação ao volume de gastos, os dados também são bons: 52% dos entrevistados gastaram mais de R$ 200 com compras em lojas online no último mês.

Entre os fatores que tornam o e-commerce mais atrativo, não tem muita novidade. Os entrevistados indicaram o preço e a oferta de frete grátis como decisivos na hora de optar pela compra online.

Mas também foram citados: confiança na loja, promoções e facilidade de compra no site ou app.

Categorias em alta

Em relação às categorias de produtos mais buscadas para as compras online, destacaram-se:

Eletrônicos 61%

Eletrodomésticos 50%

Calçados 47%

Moda e acessórios 44%

Informática 43%

Beleza e saúde 37%

Livraria 31%

Cama, mesa e banho 29%

Móveis e decoração 25%

Brinquedos e jogos 24%

Artigos esportivos 18%

Ferramentas e construção 15%

Marcas mais lembradas

Na pesquisa, evidenciando a força dos marketplaces, as marcas mais lembradas espontaneamente foram Americanas, Mercado Livre e Magazine Luiza.

Americanas lideram com ampla vantagem todas as etapas do funil de marca: 58% dos entrevistados se lembram de ter visto uma propaganda da loja nos últimos 12 meses.

Em uma escala de 0 a 5, as marcas com maior satisfação média são a Amazon e o Submarino, com 4,3.

O NPS médio das marcas avaliadas é 55. A marca com maior NPS é o Magazine Luiza, com 64.

A posição de destaque dessas grandes redes reforça a importância de o e-commerce contar com uma plataforma com hub nativo, que facilite a integração com os marketplaces.

É uma forma de aumentar a conversão da loja, aproveitando o potencial omnichannel do comércio eletrônico: o cliente escolhe se fará a compra no site, no mobile, no marketplace, num aplicativo de mensagens, nas redes sociais ou na loja física.

Tendências para 2020

Quem tem interesse em explorar as oportunidades na área de e-commerce precisa ficar atento às tendências do segmento.

Nessa área, é importante lembrar que a tecnologia tem um papel preponderante na vida dos clientes, justamente por melhorar a experiência do usuário.

Para não errar nas estratégias, é fundamental:

Investir no mobile

Em 2018, as compras por smartphones e tablets ultrapassaram os números do desktop: 53,8% contra 46,2%, segundo pesquisa da ABCom.

Outra informação relevante sobre esse assunto: quem tiver operações mobile mais eficientes tem mais chances de conquistar mercado, uma vez que o nível de satisfação dos clientes ainda é baixo nos dispositivos móveis.

Apostar na personalização

O cliente hoje exige um tratamento mais customizado, direcionado para suas necessidades específicas. Mas não se trata apenas de se comunicar com o cliente de forma mais direta e pessoal. A customização deve estar presente em todas as etapas, inclusive na oferta de produtos e serviços.

Formas de pagamento e entrega diferenciada podem representar diferenciais importantes nessa área. O importante é priorizar a conveniência do cliente.

Valorizar a experiência do usuário

Acostumado com a instantaneidade da internet, o público torna-se cada dia mais impaciente. Portanto, é fundamental agilizar os processos, em todas as áreas.

Numa operação omnichannel, o mais importante é entender a influência de cada canal nos negócios. Ao fazer isso, o e-commerce valoriza as propostas de valor da operação e direciona melhor os seus investimentos.

Fique atento: os resultados são melhores para quem foca na jornada do cliente. A personalização é um atributo importante nessa história e as empresas podem contar com a ajuda da tecnologia para aprimorar o trabalho nessa área.

Gostou do artigo? Quer saber mais sobre como usar os novos recursos tecnológicos a favor do seu negócio? Baixe agora nosso eBook sobre Futuro do E-commerce.

Posts relacionados


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *