A importância do remarketing como estratégia do e-commerce

remarketing

Aumento das taxas de conversão do e-commerce é um dos resultados que podem ser obtidos com o emprego do remarketing.

Para que a estratégia funcione, é preciso atenção com a segmentação e a personalização das campanhas. Quanto mais precisa for a abordagem, maiores as chances de sucesso.

Você ainda tem dúvidas sobre a melhor forma de usar o remarketing no e-commerce e os benefícios que podem ser obtidos? Então, confira as informações que separamos sobre o assunto.

O que é remarketing

Para entender o conceito de remarketing, lembre-se de que a proposta é abordar o cliente que demonstrou interesse pelo seu produto.

No caso do e-commerce, existe uma forma bem fácil de chegar nessa informação: basta analisar o relatório de carrinhos abandonados.

Se o cliente não chegou nessa fase, o remarketing ainda pode ser usado, desde que a loja consiga mapear os dados da pessoa que clicou no seu anúncio ou banner. Tecnicamente, isso é possível graças ao uso dos cookies.

Os internautas têm a opção de restringir as marcações ao navegarem pela internet, porém, não se trata de uma prática tão comum. Ou seja, não é difícil para reunir dados a respeito do comportamento dos usuários.

Fique atento: ao definir sua plataforma de e-commerce, certifique-se de que ela conta com os recursos necessários para gerar os relatórios necessários para a gestão da loja.

Assim, em alguns cliques, é possível obter os dados sobre os clientes que desistiram da compra, bem como outras estatísticas do e-commerce. Clientes cadastrados, número de visitantes e pedidos realizados, além das informações para o contato.

Como fazer remarketing

Planejar e executar uma estratégia de remarketing (ou retargeting, como preferem alguns) exige atenção redobrada com a captação de informações sobre o comportamento do seu cliente.

Lembra que citamos no início do texto a importância da segmentação? Então, fique atento. Remarketing significa direcionar suas estratégias de marketing para clientes que interagiram com o seu produto.

Nesse sentido, não tenha dúvidas: quanto mais refinado o trabalho de segmentação da base, melhor.

Por exemplo, é importante analisar o perfil de compra do consumidor que demonstrou interesse por determinado item da sua loja.

O histórico de suas compras é fundamental para que o e-commerce o aborde da maneira correta. Faz sentido mostrar um produto de custo menor? Será que um desconto na mercadoria de valor mais elevado funcionará? Enfim, há uma série de questões que podem ser ponderadas na preparação da melhor oferta.

Quais os canais para fazer remarketing

Entendido o significado e o conceito de remarketing, vamos entrar agora na parte prática da execução dessas estratégias, mostrando os canais que podem ser empregados.

Links patrocinados

Pela sua popularidade, é difícil dissociar o uso do remarketing do Google. Ao programar uma campanha no Google AdWords, essa é uma das alternativas apresentadas para a segmentação dos anúncios.

Ao optar por esse caminho, a plataforma vai mostrar o seu anúncio apenas para quem entrou na sua loja e/ou interagiu de alguma forma com os seus produtos (ou com aquela categoria).

Dependendo do estágio de cliente na jornada de compra, a estratégia costuma ser bem eficaz. A explicação é simples: a pessoa fez a pesquisa sobre determinado produto, mas deixou a compra para depois.

Nesse caso, a sua decisão de adquirir o item pode sim ser reforçada com a mensagem da loja, principalmente se ela relevante e aparecer no momento correto.

Atenção: ao fazer a segmentação da ação, estude os sites e os horários mais adequados para fazer o remarketing. Esses aspectos têm grande influência nos resultados, em função da força da contextualização.

Anúncios nas redes sociais

Além dos links patrocinados no Google, analise com atenção a possibilidade de usar esse tipo de estratégia nas redes sociais. Facebook e Instagram têm gerado bons resultados nessa frente.

Ao fazer remarketing no Facebook, a proposta é que o produto apareça no feed de notícias daquele cliente que visitou a sua loja e, por alguma razão, não concluiu a compra.

Certifique-se de ter uma estratégia bem planejada para fazer a abordagem. Assim como no caso do Google, é importante analisar o tipo de argumento de vendas que pode ser mais eficaz.

Cupom de desconto? Itens complementares para aquele produto? Combos com determinados itens? As possibilidades de combinação são infinitas, então, o mais importante é a orientação estratégica da campanha.

Para não errar, lembre-se de que é essencial usar as ferramentas do Facebook Ads para personalizar o anúncio. Pense nisso: o ideal é que o cliente acredite que você entendeu a sua demanda e preparou aquela oferta exclusivamente para ele.

E-mail marketing

A lógica adotada no remarketing não muda com o canal usado para abordar o consumidor. Assim, o princípio adotado no caso do e-mail marketing é o mesmo: reforçar a decisão de compra daquela pessoa que entrou em contato com sua loja, mas não concluiu o processo.

Lembre-se de que conversão nem sempre tem relação com a venda propriamente dita. Aliás, se você tem uma estratégia de marketing bem estruturada, o ideal é que consiga abordar o consumidor em momentos diferentes da sua jornada de compra.

Nesse caso, a decisão sobre o que será promovido na mensagem, depende da análise do seu perfil do cliente. Em vez de um cupom de desconto, pode surtir mais efeito o envio de um material educativo sobre o produto ou mesmo um argumento de vendas mais agressivo, baseado na escassez do produto.

O e-mail serve bem para esse propósito, uma vez que é possível enviar uma mensagem personalizada. No nosso exemplo, o cliente receberia um aviso sobre a disponibilidade da oferta apenas até determinada data.

A importância da estratégia

Especificamente para e-commerce, é difícil não pensar no uso do remarketing como estratégia para reverter o abandono de carrinho de compra.

Compreensível que se busque soluções para isso, uma vez que essa é um dos pontos críticos enfrentados pelo setor. O número de clientes que desiste da compra ainda é alto, o que contribui para a baixa taxa de conversão das lojas virtuais.

Remarketing costuma ser uma estratégia eficiente para melhorar o desempenho nessa frente, mas tenha em mente que ele também pode ser útil para melhorar outros indicadores, como:

– Aumento das vendas do e-commerce;

– Crescimento da taxa de recompra;

– Redução do custo por aquisição de clientes (CAC);

– Mais visibilidade para a loja, ajudando no branding.

Esses resultados podem ser obtidos porque as campanhas são direcionadas para um público com maior potencial de compra, o que afeta positivamente o retorno.

Tenha em mente que a aferição sobre o impacto das ações deve ser feita de modo contínuo. É a partir daí que a empresa tem condições de fazer os ajustes necessários e aprimorar os resultados.

As estratégias desse tipo funcionam bem para o e-commerce em função da precisão da abordagem. Para que isso ocorra, contudo, não se pode perder de vista a importância da segmentação.

Essa é uma característica importante do marketing digital e, no caso do remarketing, trata-se de um princípio básico para o sucesso das ações.

Gostou do artigo? Ajudou a esclarecer suas dúvidas? Baixe também nosso e-Book sobre Conversão em E-commerce.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *