Segmentos de e-commerce interessantes para investir em 2016

investimento

investimento

Em 2016, o e-commerce nacional deve crescer 18% em relação a 2015 e faturar R$ 56,8 bilhões, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, ABComm. O ano deve registrar 190,9 milhões de pedidos nas lojas virtuais, com um ticket médio de R$ 298.

Por muito tempo, abrir uma loja virtual era sinônimo de vender eletrônicos, eletrodomésticos e produtos de informática. Isso porque são itens que não estragam na entrega, duram mais e proporcionam um ticket médio maior para o empreendimento. Claro que houve uma invasão de lojas especializadas o que acirrou a concorrência. Por outro lado, os consumidores ganharam opções diversificadas para encontrar produtos cada vez mais específicos. Entretanto há nichos que ainda estão por ser descobertos.

Alimentação – o setor cresceu nos últimos anos e tende a se consolidar em 2016 por três motivos. Primeiro, a busca pela comodidade de receber em casa alimentos mais elaborados. Depois, a própria crise econômica ajudou, reduzindo a procura pela refeição fora de casa e estimulando os pedidos virtuais. Por fim, a evolução logística do comércio eletrônico, que evita que o produto estrague ou fique sem sabor antes de chegar ao cliente.

Bebidas especiais – os consumidores buscam conforto e sabor também no segmento de bebidas. Nesse caso, porém, entram as opções gourmet, oferecidas principalmente pelos clubes de assinatura. Os consumidores procuram por vinhos e cervejas de marcas importadas ou artesanais, e a loja que disponibiliza uma maior variedade de rótulos.

Higiene/Bem Estar – trata-se de outro segmento de e-commerce que se beneficiou com a alta do dólar e a crise econômica porque os consumidores são atraídos pelos preços mais baixos e descontos oferecidos pelas lojas especializadas na comparação com o varejo físico.

Qualidade de vida – o aumento na procura por uma vida saudável chegou à Internet e motivou o surgimento de lojas virtuais especializadas em itens voltados para a saúde. São diversas opções, incluindo suplementos e vitaminas, alimentos orgânicos e naturais e acessórios para a prática esportiva.

Artigos para festa – os consumidores brasileiros também começaram a comprar produtos para festas pela web por conta dos preços mais baixos e comodidade. Itens de decoração e, principalmente, de confeitaria, como acessórios para bolos e doces, devem crescer em 2016.

Foto: Pixabay

Posts relacionados


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *