6 tendências tecnológicas para e-commerce que você precisa estar antenado!

crescimento do e-commerce tem ocorrido de forma acelerada e os dados de 2020 confirmam o bom momento vivido pelo setor. 

Quando se analisa a participação das lojas online na movimentação do varejo, o cenário é bastante positivo, uma vez que o comércio online, em muitas categorias, ultrapassou as vendas físicas.

Em 2020, as medidas de distanciamento social influenciaram este resultado, porém, segundo os especialistas do setor, essa mudança no comportamento do consumidor é irreversível.

Muitos clientes tiveram seu primeiro contato com o ambiente digital e perceberam, na prática, como a compra online pode ser conveniente.

Diante deste cenário, os players do setor estão certos que a média de crescimento no faturamento deve se manter acima dos dois dígitos, o que é um indicativo excelente da expansão dos negócios.

Com tantas expectativas, a inovação no setor não para. Há sempre novas tendências de tecnologia para e-commerce movimentando o mundo do consumo. Vamos conhecer algumas e entender por que elas serão cada vez mais imprescindíveis para o sucesso da sua loja virtual!

1 — Plataformas omnichannel

perspectiva omnichannel considera que todos os canais de uma empresa devem ser usados, em simultâneo, para sustentar o processo de compras da forma que for mais conveniente ao cliente. O prefixo “omni” se refere ao conceito de onipresença, que deve favorecer a empresa em qualquer contexto de compra. Tal jornada inclui a pré-venda, a própria venda, o pós-venda e o desenvolvimento adicional de relacionamentos de longo prazo.

Entretanto, não basta criar pontos de contato nos diferentes canais de marketing: é preciso integrá-los, de modo que deem suporte uns aos outros no compartilhamento de informações que favoreçam a experiência de compra.

Essa estratégia já é uma realidade em muitas empresas, e o principal é entender que não pode haver diferenciação entre loja física e online — o estoque é um só e não faz diferença a maneira como o consumidor chega ao ponto de venda.

O importante é encantá-lo, onde quer que ele esteja, entregando experiências de compra que superem sua expectativa.

2 — Chatbots e inteligência artificial

Uma das mais promissoras aplicações da inteligência artificial é na área de robôs de chat, também conhecidos no mercado como chatbots. Eles permitem uma comunicação automatizada com o cliente e, desde que bem administrada, têm grande potencial para agilizar operações de atendimento no e-commerce.

A análise de cada interação chatbot-cliente pode considerar também a relevância do cliente para a empresa, por meio de integração com os sistemas de gestão da empresa.

Assim, é possível otimizar a necessidade de operadores humanos, justamente para atender os casos críticos em que o chatbot não consegue avançar em termos de capacidade de entendimento ou resposta.

3 — Pesquisa por voz

A comunicação por inteligência artificial deverá ser baseada em pesquisa por voz, recurso cada vez mais presente em aplicações da internet. É como se o seu assistente pessoal do Google estivesse integrado ao seu e-commerce de preferência, agilizando todo o processo de compra.

4 — Mobile first

O estudo Comércio Móvel no Brasil, da Mobile Time/Opinion Box, confirma a tendência de crescimento nessa área. Com dados de setembro de 2020, o estudo mostra que a utilização do smartphone como meio para a realização de compras online de produtos físicos segue crescendo no Brasil.

Em seis meses, a proporção de internautas brasileiros que já experimentaram o comércio móvel passou de 85% para 91%. Para se ter ideia, há quatro anos este percentual estava em 40%.

E não estamos falando apenas de um número maior de novos clientes. O uso recorrente do m-commerce também cresce. 76% dos consumidores móveis afirmam que hoje fazem mais compras por app ou site no smartphone do que faziam seis meses atrás, o que indica o ganho de popularidade do comércio móvel.

Muitos brasileiros não têm computador em casa, o que torna o smartphone a única ferramenta à disposição deles para o comércio eletrônico. É o que mostram os resultados para a pergunta se os consumidores móveis realizam mais compras pelo smartphone ou pelo computador:

– 79% dos respondentes das classes C, D e E apontam o smartphone, ante 63% daqueles das classes A e B.

– A diferença aparece também na segmentação por sistema operacional: 77% dos consumidores móveis com aparelhos Android fazem mais compras pelo smartphone, contra 68% dos que têm iPhone.

– Na média, 76% dos consumidores móveis preferem o smartphone ao computador para fazer compras.

5 — Blockchain

O blockchain, do inglês “encadeamento de dados”, é um banco de dados distribuído dos registros de todas as transações ou eventos digitais que foram executados e compartilhados entre as partes participantes.

É como se fosse um livro contábil, no qual cada uma das interações registradas é verificada e aprovada por consenso pela maioria dos participantes do sistema.

Como existem milhares de pessoas olhando os registros das transações, é muito difícil para os criminosos encontrarem caminhos viáveis para burlar o blockchain.

A tecnologia blockchain está sendo trabalhada incansavelmente nos últimos anos e tem alcançado sucesso nas aplicações globais financeiras e não financeiras, indo muito além do bitcoin.

Assim, torna-se um importante aliado das operações de e-commerce, já que resolve vários desafios relacionados à segurança digital. Afinal, são os dados pessoais e o número do cartão de crédito do cliente que estão em trânsito.

6 — Big Data

Na era da informação, a gestão de dados não é uma atividade qualquer para empresas e governos — trata-se de uma questão de sobrevivência.

Negócios digitais precisam ser capazes de extrair conhecimento relevante de um grande volume de informações, o que garantirá sempre mais vendas, serviços eficientes, redução de custos e clientes satisfeitos.

E como se extrai informação e conhecimento de dados? Implantando projetos de Big Data. Eles consideram que o volume de informação do mundo cresceu tanto que a quantidade examinada já não cabe na memória de processamento dos computadores.

Por isso, os engenheiros tiveram de aprimorar os instrumentos de análise. Nesse sentido, a era do Big Data desafia a maneira como vivemos e interagimos com o mundo.

Quanto maior o volume de dados captado dos seus clientes e leads, mais eficiente será a base de conhecimento que dará suporte à comunicação inteligente em seus canais digitais, especialmente na sua plataforma de e-commerce.

Em termos práticos, as vantagens são diversas. Você poderá otimizar os resultados das suas campanhas automaticamente conforme os interesses do público e criar promoções extremamente segmentadas com alto poder de conversão.

Cada vez mais, as tendências de tecnologia para e-commerce melhoram o desempenho de parte ou do processo de compra como um todo. 

Um projeto de loja virtual bem desenhado facilita o acesso às informações, subsídio mais importante para o cliente que não pode tocar e experimentar o produto. Ficou interessado? Confira também o nosso eBookGuia completo de vendas via WhatsApp. Quem deseja acompanhar a evolução do e-commerce não pode ignorar novas oportunidades de contato com o público, certo?  

Posts relacionados