Tendências e oportunidades para o e-commerce

Os indicadores do setor de e-commerce têm sido positivos nos últimos anos e os bons resultados devem se repetir em 2019.

A 40.ª edição do Webshoppers, um dos principais estudos da área, confirma que fechamos o primeiro semestre com um resultado 12% acima do registrado no mesmo período de 2018.

O volume de pedidos cresceu 20%, chegando a 65,2 milhões. Para se ter ideia, em julho de 2018 foram 54,4 milhões.

Outra pesquisa, desta vez encomendada pelo PayPal, mostra que tem crescido também o número de lojas.

Segundo dados do Perfil do E-Commerce Brasileiro, alcançamos a marca de 930 mil sites de comércio eletrônico no Brasil.

Esse volume representou um aumento de 38% em relação ao ano de 2018. É a maior alta registrada desde 2014.

Os números positivos representam boas oportunidades para os novos entrantes e possibilidades de avanço para quem já tem um negócio online e pretende crescer.

No entanto, para aproveitar todo o potencial do segmento, é importante estar atento à movimentação do setor. Afinal, ter um negócio bem-sucedido depende de alguns fatores, como a agilidade para se adaptar às novas tendências.

Separei alguns dados que vão ajudar você a entender o crescimento do e-commerce e indico também os aspectos que devem ser considerados no planejamento do seu negócio.

Por que o momento é promissor para o e-commerce?

Uma boa notícia para quem pretende investir no comércio online: o crescimento do setor tem ocorrido de forma constante nos últimos anos. Ou seja, não se trata apenas de um boom ou de “modismo”.

Segundo os dados da e-Bit/Nielsen, que acaba de divulgar a 40.ª edição do seu estudo sobre o setor, o faturamento e o volume de pedidos cresceram pelo segundo semestre consecutivo.

Em volume de dinheiro a variação foi de 12% em relação ao primeiro semestre de 2018 e, em quantidade de pedidos, o percentual ficou em 20%.

A projeção é que fecharemos 2019 com um faturamento de quase 60 bilhões de reais e um total de 144 milhões de pedidos.

Acesso à internet continua crescendo

Outro aspecto relevante é a importância conquistada pela internet no país. Os números continuam avançando.

A pesquisa TIC Domicílios, do Comitê Gestor de Internet, indica que o Brasil tem hoje 126 milhões usuários. Isso significa que 70% da população do país está conectada.

Para se ter ideia do quanto evoluímos, em 2008 esse índice estava em 34%. Em termos mundiais, o percentual fica na faixa dos 48%. Ou seja, nesse quesito estamos acima da média.

Cenário econômico positivo

Importante considerar, também, as condições econômicas do país. Os indicadores têm melhorado e são boas as expectativas para o segundo semestre de 2019.

A liberação dos saques do FGTS, por exemplo, é um dos fatores que devem ajudar a melhorar as finanças dos consumidores. A expectativa é que sejam injetados R$ 39,87 bilhões na economia do País.

Setores em alta no e-commerce

Para entender a dinâmica do setor no Brasil, confira as categorias que têm apresentado os melhores resultados de vendas online nos últimos anos.

  1. Perfumaria, cosméticos e saúde
  2. Moda e acessórios
  3. Casa e Decoração
  4. Eletrodomésticos
  5. Livros, Assinaturas e Apostilas

Setores em alta no mobile commerce?

Quem pretende investir no comércio eletrônico deve considerar no seu planejamento o crescimento do mobile commerce.

No estudo da E-Bit/Nielsen, as vendas vias dispositivos móveis tiveram crescimento superior ao registrado no website. Entre os produtos mais vendidos pela internet, as altas foram bem expressivas:

Perfumaria, Cosméticos e Saúde cresceram 112%;

Moda e Acessórios, 59%;

Esporte e lazer, 40%;

Casa e Decoração, 38%.

Como você viu, os crescimentos têm sido expressivos. Em termos de negócios, pense nisso: ao mesmo tempo que o mercado brasileiro tem grandes players, ele também tem espaço para empreendedores que estão começando agora, e nos mais diferentes setores.

O brasileiro está disposto a comprar praticamente tudo pela internet, o que pode ser uma excelente oportunidade para quem tem loja física e pretende expandir a operação ou para os que estão interessados em tornar-se um empreendedor digital.

Como se preparar para aproveitar as oportunidades do setor?

Ter boas estratégias de vendas é o primeiro passo para quem pretende entrar no comércio online ou escalar sua operação.

Conseguir analisar as experiências do usuário de forma mais abrangente é um passo importante para ser bem-sucedido na implementação de estratégias centradas no cliente.

Se pretende seguir nessa linha, estude com atenção a possibilidade de implementar estas iniciativas:

Customer Experience

Contempla a adoção de medidas que priorizam a experiência  do cliente, do início ao fim da jornada de compra. Ou seja, é importante avaliar desde as ações de comunicação, até os serviços de pós-vendas, passando, claro, pelo processo de venda em si.

No e-commerce, hoje é essencial disponibilizar operações omnichannel, investir em checkout inteligente e valorizar o conceito de mobile first.

Customer Success

Ter estruturas dedicadas ao Sucesso do Cliente é uma aliada nesse tipo de trabalho. A orientação para a área é priorizar a fidelização do cliente, desenvolvendo estratégias que permitam que o e-commerce consiga se antecipar aos problemas.

Para isso, é importante monitorar, de forma efetiva, o nível de satisfação dos clientes com a sua empresa. No comércio eletrônico, as operações podem fazer isso na própria plataforma ou a partir do envio de e-mails.

Ter uma estratégia customer centric nem sempre vai exigir grandes investimentos. A base é o comprometimento com as experiências que serão proporcionadas ao consumidor, pensando sempre em manter relações duradouras.

Como manter as vendas aquecidas?

Ainda visando o segundo semestre de 2019, é importante ter ações específicas para as datas comemorativas.

Dia das Crianças

A data é relevante para quem tem produtos voltados para o público infantil, claro, mas também é possível usar o tema para outras categorias de produto.

Segundo os dados da eBit/Nielsen, o foram movimentados quase 2 bilhões de reais na data. O ticket médio foi de R$ 409,00, o mesmo valor registrado, por exemplo, no Dia dos Pais.

Comparando com o ano anterior, houve um aumento de 8% no volume de pedidos e de 6%, em movimentação financeira.

Nos últimos anos tem sido registrado um crescimento importante nas vendas do varejo de moda. Além das iniciativas voltadas às crianças, por que não fazer algo que remeta às lembranças de infância do seu público?

Trabalhar com elementos lúdicos nessa época é uma opção, até porque as pessoas começam a entrar no clima de brincadeira.

Halloween

Essa proposta do Dia das Crianças também vale para os festejos do Halloween. Principalmente para o público jovem, estamos falando de uma data que gera muito burburinho.

Como ocorrem diversos tipos de eventos relacionados ao Dia das Bruxas, é importante analisar a movimentação nas vendas de alguns nichos específicos, como alimentos, bebidas, fantasias, moda jovem, maquiagem artística e decoração.

Dependendo da faixa etária do público, usar o Halloween como tema na comunicação pode ser uma forma de atrair a sua atenção.

Black Friday

Principal data para o comércio eletrônico mundial, a Black Friday exige atenção redobrada de todas as áreas.

Registramos em 2018 um crescimento de 13% no volume de pedidos e a expectativa é que o resultado de 2019 seja ainda maior.

Segundo dados da eBit/Nielsen, em 2018 as vendas no período representaram 4,9% do total de vendas do e-commerce – o maior percentual entre as datas comemorativas (ganhou até do Natal, que registrou 4,8%).

Oferta de produtos com preços competitivos é regra básica para ter sucesso no período, mas existem outras iniciativas que podem contribuir para o aumento das vendas, como o anúncio de “condições especiais” para determinado grupo de clientes.

A comunicação tem um papel estratégico no período, até pela enorme quantidade de campanhas que devem invadir a internet na semana do evento.

Fique atento: além de ganhar novos clientes, é importante cuidar daqueles que são fiéis à marca. Portanto, prepare a loja para receber um fluxo maior de consumidores, verificando se terá como fazer o atendimento.

Gostou do artigo? Ainda tem dúvidas sobre como estruturar sua operação de vendas online? Consulte o nosso Guia Prática de E-Commerce. Apresentamos os cuidados que você deve ter antes de criar sua loja virtual e reunimos boas práticas do setor para quem precisa alavancar o seu negócio.

Posts relacionados


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *